imagem da secção
noticias
linha
  Questões Práticas #07 com João Bento | 3 dez. 2020 + 7 jan. 2021, videoconferência | Parceria ESMAD | Programa Educativo Circular 07.01.21
Questões Práticas #07 com João Bento | 3 dez. 2020 + 7 jan. 2021, videoconferência | Parceria ESMAD | Programa Educativo Circular

3 de dezembro 2020 | 21:00
Encontro com João Bento
Videoconferência (via Zoom)

7 de janeiro 2021 | 22:15
Improvisação a partir dos documentários sonoros dos estudantes da ESMAD
Videoconferência (via Zoom: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89371500105)

O último momento do ciclo “Questões Práticas” em 2020 organiza-se à volta de práticas sonoras e tem como convidado o artista sonoro João Bento. Este evento, realizado em parceria com a ESMAD (no âmbito das conferências 20 a 20000hz), será dividido em duas sessões. Na primeira sessão João Bento irá falar sobre o seu percurso artístico e sobre as suas práticas de trabalho, no segundo momento estará a colaborar na realização de um exercício proposto pelo professor e músico Filipe Lopes aos alunos do Mestrado em Comunicação Audiovisual - Especialização em Fotografia e Cinema Documental.

___________________

João Bento é artista sonoro e visual, compõe som para dança, performance, teatro, cinema e live acts. Articulando gravações de campo, instrumentos analógicos/eletrónicos e objectos sonoros, usados num contexto multidisciplinar. Criou e desenhou som para diferentes artistas, coreógrafos, realizadores e encenadores dos quais destaca Rui Horta, João Fiadeiro, Vera Mantero, Ben J Rie-pe, John Romão, Marta Cerqueira, Gustavo Círiaco, Elizabete Francisca, Rui Catalão, Filipa Francisco, Paula Diogo, entre outros. Paralelamente desenvolve o seu trabalho nas artes plásticas e no campo da instalação sonora, relacionando arquivos de som e processos que questionam a memó-ria e o território. Está também envolvido em diferentes projetos musicais. A solo e em colaboração apresentou trabalhos pela Europa, bem como México, India e Bangladesh. www.joao-bento.com

___________________

O ciclo “Questões práticas” configura-se em torno de encontros, conversas e performances que pretendem dar a conhecer práticas de investigação, escrita, performance, pensamento e transmissão de conhecimento. Cada encontro funciona como um exercício de activação do imaginário social, poético e político dos participantes e dos convidados, procurando intersecções entre práticas artísticas e não artísticas. Organizado em torno de momentos separados no tempo, mas articulados entre si, este ciclo utiliza diferentes formatos de apresentação e protocolos de participação, promovendo o envolvimento e o cruzamento de públicos com interesses diversificados. 


___________________

Público alvo: estudantes e professores da ESMAD, público em geral.

Actividade inserida no Programa Educativo da Circular Associação Cultural. Coordenação ciclo “Questões práticas”: Joclécio Azevedo

© João Sequeira
07.01.21
  2020 | Programação da Circular Associação Cultural em imagens [selecção] 31.12.20
2020 | Programação da Circular Associação Cultural em imagens [selecção]

2020 foi um ano atípico e difícil, marcado pela constante incerteza. Confiantes que o próximo ano será melhor, recordamos alguns dos momentos da programação da Circular Associação Cultural, muitas vezes reajustada para responder às exigências da pandemia, com o apoio e cumplicidade dos artistas, parceiros e público. Bom Ano de 2021!

Galeria de imagens em www.facebook.com/circularfestivaldeartesperformativas
31.12.20
  'Histórias da Performance Art' com Rita Castro Neves | 14 Dez. 2020 | 'Corporalidade, temporalidade e pensamento' | Programa Educativo Circular 14.12.20
'Histórias da Performance Art' com Rita Castro Neves | 14 Dez. 2020 | 'Corporalidade, temporalidade e pensamento' | Programa Educativo Circular

14 de dezembro 2020 | 13:30
Aula "Histórias da Performance Art" com Rita Castro Neves
* participação reservada a alunos da Escola Secundária José Régio

Breve viagem pela(s) história(s) da Arte da Performance, através das suas imagens e das memórias que chegaram até nós. A Performance - uma arte ancorada na acção, realizada por um ou mais corpos, que se apresentam “ao vivo” ao seu público – é uma arte multidisciplinar que desde o início do século XX não deixa de nos questionar, surpreender e emocionar.  

___________________

Rita Castro Neves, vive e trabalha no Porto. Após terminar o Curso Avançado de Fotografia do Ar.Co e o Master in Fine Art da Slade School of Fine Art de Londres, expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro, em espaços estabelecidos como em locais ditos não convencionais. Partindo de uma formação e visão fotográficas, tem desenvolvido projectos artísticos com suportes diversificados: da fotografia à fabricação de objectos, passando pelo vídeo, a live art, a instalação, bem como projectos site-specific. Em 2015 inicia com o artista e arquitecto Daniel Moreira, um projecto colaborativo longo a propósito da representação da paisagem, em que reflectem com o desenho, a fotografia e o vídeo, de forma instalada, sobre colaboração artística, diferentes técnicas e culturas artísticas, território, escala e percurso. Desenvolve projectos de curadoria, sobretudo na área da Live Art, incluindo o Amorph!98, o brrr. Festival de Live Art, a Trama Festival de Artes Performativas, Sintoma nº 0 e Sintomas e Efeitos Secundários. É actualmente docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde criou e coordena, desde 2012, o grupo de investigação Sintoma. Performance. Investigação. Experimentação. www.ritacastroneves.com

___________________

Corporalidade, temporalidade e pensamento
Escola Secundária José Régio | Vila do Conde
8 de Novembro 2019 - 14 de Dezembro de 2020

Este projecto dirige-se a alunos do ensino secundário e configura-se através de um conjunto de aulas que problematizam as formas como experienciamos o corpo através das suas transformações, das suas articulações no espaço público e privado, da circulação permanente das suas imagens e representações. Os tópicos abordados em cada aula interligam diferentes disciplinas e produzem focos de atenção que tentam permitir a disseminação de olhares em torno do papel do corpo na história, na actualidade, na cultura contemporânea e na prática artística. Cada aula parte da observação ou investigação em torno de fenómenos culturais e políticos, na tentativa de examinar o corpo enquanto elemento disruptivo na vida social, no discurso e nas relações que estabelecemos com os outros e com o mundo ao qual pertencemos. Este ciclo de aulas dialoga com a área de educação para a cidadania e conta com o apoio de professores locais ligados a diversas disciplinas como história, filosofia, artes visuais, economia ou multimédia. ― Joclécio Azevedo

Aulas/intervenções e convidados: "The Roof is on Fire", com Juan Luis Toboso; "Eu sou um outro", com José Maia; "de submisso a político – o lugar do corpo negro na cultura visual", com Melissa Rodrigues; "Por uma ecologia da experiência estética, activação e fracasso do corpo colectivo", com Gabriela Vaz-Pinheiro; "Corpo e trabalho", com Luisa Veloso; "Histórias da Performance Art", com Rita Castro Neves.

O projecto "Corporalidade, temporalidade e pensamento" integra o Programa Educativo da Circular Associação Cultural. A aula com Rita Castro Neves, inicialmente prevista para Março de 2020, foi adiada para 14 de Dezembro devido à pandemia de Covid-19. 

Coordenação do projecto "Corporalidade, temporalidade e pensamento": Joclécio Azevedo Produção: Circular Associação Cultural

© DR
14.12.20
  RESIDÊNCIA EM CONVERSA | Apresentação COREIA #3 com João dos Santos Martins e Daniel Pizamiglio | 11 Nov. Gafanha da Nazaré 11.11.20
RESIDÊNCIA EM CONVERSA | Apresentação COREIA #3 com João dos Santos Martins e Daniel Pizamiglio | 11 Nov. Gafanha da Nazaré

11 de Novembro, 18:00
23 Milhas, Fábrica das Ideias, Gafanha da Nazaré
60 minutos | Entrada livre

Além de uma conversa com o público sobre a residência Coreografia, que decorre na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré, João dos Santos Martins (editor) apresenta a publicação Coreia, a que se junta a performance de Daniel Pizamiglio.

Coreia é um projeto editorial de caráter artístico, crítico e discursivo, a propósito das artes em geral, firmado numa relação umbilical com a dança, preocupado em divulgar formatos vários como partituras, manifestos, entrevistas, crónicas, ensaios, críticas e reflexões em língua portuguesa. O jornal tem uma tiragem semestral de 3000 exemplares com distribuição gratuita em todo o país.

www.coreia.pt

A edição #3 conta com contribuições de Acção Cooperativista, Christophe Wavelet & Miguel Wandschenider, Diana Niepce, Elisabeth Lebovici, Henrique Furtado, Ligia Lewis, Lula Pena, Melissa Rodrigues, Mierle Laderman Ukeles, Miguel Teles, Min Kyoung Lee, Volmir Cordeiro.

Direção editorial: João dos Santos Martins | Design gráfico: Isabel Lucena | Contribuição: Ação Cooperativista, Christophe Wavelet, Diana Niepce, Elisabeth Lebovici, Francisco Camacho, Henrique Furtado, João Fiadeiro, Liliana Coutinho, Lula Pena, Melissa Rodrigues, Mierle Laderman Ukeles, Miguel Teles, Miguel Wandschneider, Min Kyoung Lee, Vera Mantero, Volmir Cordeiro | Tradução: José Maria Vieira Mendes, Patrícia da Silva | Revisão: Daniel Lühmann, Pedro Cerejo | Transcrição: Duarte Bénard da Costa | Edição, produção e distribuição: Associação Parasita, Circular Associação Cultural | Site: Sara Orsi | Apoios: Alkantara | Agradecimentos: Duarte Amado, José Carlos Duarte, Matheus Martins, Mierle Laderman Ukeles, Ronald Feldman Gallery (Nova Iorque)

Coreia: call para contribuições

O jornal Coreia aceita colaborações para o próximo número, a sair em Fevereiro de 2021, reservando-se o direito de selecção dos textos originais, que devem ser enviados por correio electrónico, até ao dia 14 de Dezembro de 2020 para: coreia@coreia.pt.

© Margarida Ribeiro / Circular Festival de Artes Performativas
11.11.20
  'Plano inclinado' de Carlos Arteiro e Joclécio Azevedo | 7 - 30 Nov. Centro de Memória | 'Modos de Usar' 07.11.20
'Plano inclinado' de Carlos Arteiro e Joclécio Azevedo | 7 - 30 Nov. Centro de Memória | 'Modos de Usar'

Centro de Memória de Vila do Conde

Performance:
7 de Novembro 2020
11:00 – 12:30 / 14:15 – 17:15, em contínuo
Acesso gratuito*

Instalação:
De 7 a 30 de Novembro 2020
10:00 – 13:00 / 14:00 – 18:00

"Plano inclinado" resulta de um processo de colaboração entre o artista plástico Carlos Arteiro e o coreógrafo Joclécio Azevedo, artista residente da Circular Associação Cultural. A proposta inclui uma performance e uma instalação no Centro de Memória, em Vila do Conde, a partir de um diálogo à volta da escultura, da coreografia e da colaboração como formas de preparar território a encontros inesperados com a matéria, com o espaço e com o contexto local de produção.

A obra consiste na construção de uma oficina temporária, integrando parte do trabalho físico necessário à edificação do espaço como performance. Objectos, ferramentas e fragmentos de textos permanecem no local de trabalho, constituindo um registo documental do processo.

___________________

Esta proposta integra o projeto “Modos de usar” de Joclécio Azevedo, desenvolvido no contexto da Circular Associação Cultural. “Modos de usar” é um projecto que questiona a relação dos artistas com os seus métodos e ferramentas de pesquisa, propondo espaços de conversação, de activação de ligações com o contexto local de produção. O projecto desenvolve-se em várias camadas, à procura da reconfiguração de fronteiras disciplinares através de actividades que incluem também oficinas, workshops, encontros e apresentações informais. Constitui-se como um processo intermitente, integrando artistas, associações e grupos locais que desenvolvem projectos no campo das artes performativas e estendendo-se a participantes profissionais e não profissionais. O projecto prevê a criação de uma série de intervenções colaborativas, desenvolvidas entre 2018 e 2021.

___________________

Carlos Arteiro (Vila do Conde, 1992) é licenciado em Artes Plásticas (Escultura) pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (2015) e Mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas pela mesma instituição (2017). Foi bolseiro Erasmus na Facultad de Bellas Artes da Universidad Complutense de Madrid (2014-15). Em 2018 foi finalista do prémio NOVO BANCO Revelação 2018. Vive e trabalha em Vila do Conde.

Joclécio Azevedo (Brasil, 1969) vive no Porto desde 1990. A sua prática artística integra vários interesses, como coreografia, performance, escrita, som, dramaturgia e colaboração. Foi director artístico do Núcleo de Experimentação Coreográfica entre 2006 e 2011. É membro da direcção plenária da GDA desde 2008 e do Conselho de Curadores da Fundação GDA desde 2010. Artista residente da Circular Associação Cultural a partir de 2012. Colabora regularmente com grupos de investigação e de formação como o Sintoma, FAICC, Oficina ZERO, Balleteatro Escola Profissional, entre outros.
___________________

A ArtWorks é uma organização que produz obras de arte, projectos e exposições, na qual trabalha Carlos Arteiro. Para “Plano inclinado” contribuiu com a disponibilização das instalações e alguns materiais que integram o projecto.

*a iniciativa vai respeitar as medidas de segurança e de lotação definidas pela Direção-Geral da Saúde.

© Carlos Arteiro
07.11.20
  "O que já não é e o que nunca foi" de Joclécio Azevedo | 17+18 Out. FIMP | 24 Out. Vila do Conde | Nova Criação Artista Residente 24.10.20
"O que já não é e o que nunca foi" de Joclécio Azevedo | 17+18 Out. FIMP | 24 Out. Vila do Conde | Nova Criação Artista Residente

17 de Outubro, 19:00 / Estreia absoluta
18 de Outubro, 16:00
Palácio do Bolhão - Porto

No âmbito do Festival Internacional de Marionetas do Porto

24 de Outubro, 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde


Este trabalho organiza-se a partir de rituais de pesquisa em torno do tempo, da sua ocupação, suspensão e condensação. Reunidos numa lógica de acumulação, em cena encontram-se objetos reaproveitados, tecnologia low-fi, dispositivos de amplificação e gravações recolhidas aleatoriamente durante o processo. A partir deste ambiente os intérpretes produzem um mosaico de ações, configurando espaços físicos e mentais que convocam os efeitos da lentidão, da velocidade, da repetição, da continuidade, da descontinuidade, da medição ou mesmo do esquecimento do tempo. O tecido coreográfico e sonoro produzido é atravessado também por fragmentos de memórias partilhadas, submetidas a processos de transformação e de desgaste.


Direção artística e coreografia: Joclécio Azevedo | Música e interpretação: Xavier Paes | Interpretação: Gustavo Monteiro, Joclécio Azevedo | Figurinos: João Pedro Estelita Mendonça | Desenho de luz e operação: Cárin Geada | Produção executiva: Sofia Reis | Co-produção: Festival Internacional de Marionetas do Porto e Circular Associação Cultural | Apoio à residência artística: Teatro de Ferro e Companhia Instável


© Susana Neves / FIMP
24.10.20
  Até para o ano! 17.º Circular Festival de Artes Performativas de 18-25 de Setembro de 2021, Vila do Conde 03.10.20
Até para o ano! 17.º Circular Festival de Artes Performativas de 18-25 de Setembro de 2021, Vila do Conde

Chegou ao fim a 16.ª edição do Circular Festival de Artes Performativas.

Uma edição que trouxe grandes desafios na forma de trabalho e no modo de estarmos juntos. O Circular 2020 incluiu espectáculos, muitos dos quais em estreia absoluta ou nacional, de Volmir Cordeiro e Marcela Santander Corvalán; Vera Mantero e Luís Guerra; Angélica Salvi e La Skimal; Miguel Bonneville; João Dias, Miquel Bernat e Gustavo Costa; Noviga Projekto | Clara Saleiro e Manuel Alcaraz Clemente; e Filipe Pereira.
No âmbito do programa do Festival, realizou-se o seminário 'O desaparecimento do público. Pensar as artes performativas' por José Maria Vieira Mendes / Teatro Praga, integrado no projecto Questões Práticas do programa educativo da Circular Associação Cultural, e o lançamento do Jornal “Coreia” com João dos Santos Martins (editor) e a participação especial de Melissa Rodrigues — em conversa — e Daniel Pizamiglio — em performance.

Agradecemos a toda a equipa do Circular, a todos os artistas, aos parceiros envolvidos na organização do festival e suas equipas, e, muito especialmente, ao público que de forma expressiva e implicada aderiu ao programa.

Muito obrigado! Encontramo-nos de 18 a 25 de Setembro de 2021 para a 17.ª edição do Circular Festival de Artes Performativas!

Imagens | 16.º Circular Festival de Artes Performativas  
03.10.20
  Lançamento do jornal Coreia #3 | 27 Set 18:00, Espaço Alkantara - Lisboa 27.09.20
Lançamento do jornal Coreia #3 | 27 Set 18:00, Espaço Alkantara - Lisboa

Depois da apresentação no 16.º Circular Festival de Artes Performativas, o Espaço Alkantara, em Lisboa, recebe o lançamento do 4.º número do jornal Coreia com apresentação de João dos Santos Martins (editor) e a participação especial de Daniel Pizamiglio.

A sessão decorre no dia 27 de Setembro, Domingo, às 18:00 (reserva obrigatória: https://forms.gle/WMVcqJEKtNynBg599).

Coreia é um projecto editorial de carácter artístico, crítico e discursivo, a propósito das artes em geral, firmado numa relação umbilical com a dança, preocupado em divulgar formatos vários como partituras, manifestos, entrevistas, crónicas, ensaios, críticas e reflexões em língua portuguesa. O jornal tem uma tiragem semestral de 3000 exemplares com distribuição gratuita por todo o país.

A edição #3 conta com contribuições de Ação Cooperativista, Christophe Wavelet, Diana Niepce, Elisabeth Lebovici, Francisco Camacho, Henrique Furtado, João Fiadeiro, Liliana Coutinho, Lula Pena, Melissa Rodrigues, Mierle Laderman Ukeles, Miguel Teles, Miguel Wandschneider, Min Kyoung Lee, Vera Mantero, Volmir Cordeiro.

www.coreia.pt

Ficha artística/ técnica
Direção Editorial: João dos Santos Martins | Design Gráfico: Isabel Lucena e Ana Freitas | Contribuição: Ação Cooperativista, Christophe Wavelet, Diana Niepce, Elisabeth Lebovici, Francisco Camacho, Henrique Furtado, João Fiadeiro, Liliana Coutinho, Lula Pena, Melissa Rodrigues, Mierle Laderman Ukeles, Miguel Teles, Miguel Wandschneider, Min Kyoung Lee, Vera Mantero, Volmir Cordeiro | Tradução: José Maria Vieira Mendes, Patrícia da Silva | Revisão: Daniel Lühmann, Pedro Cerejo | Edição, Produção e Distribuição: Associação Parasita e Circular Associação Cultural | Site: Sara Orsi | Apoio: Alkantara | Agradecimentos: Duarte Amado, José Carlos Duarte, Matheus Martins, Mierle Laderman Ukeles, Ronald Feldman Gallery (Nova Iorque)

Imagem © Mierle Laderman Ukeles - Fotografia do "Artist's Letter of Invitation Sent to Every Sanitation Worker with Performance Itinerary for 10 Sweeps in All 59 Districts in New York City", 1979 - Courtesy the artist and Ronald Feldman Gallery
27.09.20
  Distribuição do Jornal Coreia #2 ao domicílio 07.05.20
Distribuição do Jornal Coreia #2 ao domicílio

Coreia é um jornal de carácter artístico, crítico e discursivo sobre artes em geral, firmado numa relação estreita com a dança, com direcção de João dos Santos Martins e produção e distribuição da Circular Associação Cultural e Associação Parasita.

Esta edição do Jornal está disponível para envio ao domicílio a pedido. Preencher formulário [aqui]. Os jornais serão enviados por correio e sem encargos dos portes de envio.

A distribuição gratuita desta edição será progressivamente retomada em todo o território nacional, nomeadamente bibliotecas, centros de documentação, museus, galerias e teatros acompanhando a reabertura gradual de cada instituição (lista completa disponível no site www.coreia.pt). 

A edição #2 do Jornal Coreia conta com contribuições dos artistas e investigadores Ana Pi (BR), Clara Amaral (PT), Diego Bagagal (BR), Filipe Pereira (PT), Hélio Oiticica (BR), Miguel Castro Caldas (PT), Rita Natálio (PT), Teresa Castro (PT), Tom Engels (BE), Vânia Doutel Vaz (PT), Vânia Rovisco (PT) e Zeina Hanna (LB). 

Ficha técnica e artística jornal Coreia: Direção Editorial: João dos Santos Martins | Design Gráfico: Isabel Lucena | Contribuição: Ana Pi, Clara Amaral, Diego Bagagal, Filipe Pereira, Hélio Oiticica, Miguel Castro Caldas, Rita Natálio, Teresa Castro, Tom Engels, Vânia Doutel Vaz, Vânia Rovisco, Zeina Hanna | Tradução: José Maria Vieira Mendes, Patrícia da Silva | Revisão: Daniel Lühmann, Sónia Baptista, Pedro Cerejo | Edição, Produção e Distribuição: Associação Parasita, Circular Associação Cultural | Site: Sara Orsi | Apoios: Escola de Dança do Centro Municipal de Juventude de Vila do Conde, ESMAE, Opart/Companhia Nacional de Bailado/Estúdios Victor Córdon, Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural | Agradecimentos: André e. Teodósio, Ariane Figueiredo e César Oiticica do Projecto H.O., Claraluz Keiser, Daniel Pizamiglio, Donatella Cacciola, Duarte Amado, ESMAE, Frank-Manuel Peter, Maus Hábitos, Sebastian Bardin-Greenberg, Sergio Zalis, Vânia Rodrigues

+ info: www.coreia.pt


Imagem: © Colagem patente no livro Lilliput Pocket Omnibus (1937-38) produzido por Stefan Lorant (Londres: Pocket Publications)
07.05.20
  Seminário Online em torno da História da Dança com Ezequiel Santos | 30, 31 Mai 6, 7 Jun | Questões Práticas #05 30.04.20
Seminário Online em torno da História da Dança com Ezequiel Santos | 30, 31 Mai 6, 7 Jun | Questões Práticas #05

Questões Práticas #05
Seminário online em torno da História da Dança com Ezequiel Santos
30 e 31 Maio, 6 e 7 Junho
17:00 às 18:30
via app Zoom | Gratuito [inscrições encerradas]

"Um passeio com o senhor Valéry"
A dança é uma disciplina preponderante na produção artística da atualidade. Contudo, ela ainda permanece habitualmente ausente no ensino da história da arte ocidental provocando um vazio de informação acerca dos seus utensílios e protagonistas. No sentido de contribuir para um melhor conhecimento da sua história, este seminário focaliza-se na dança de produção teatral do século XX à actualidade, salvaguardando para cada época os contextos sociais, artísticos e locais que ditaram as circunstâncias da criação e do pensamento ligadas a esta forma de arte. Apoiando-nos no visionamento de espectáculos e na comparação com fontes da literatura e da pintura também reflectiremos sobre os diferentes géneros (ballet, dança moderna, dança contemporânea) de modo a adquirir conhecimentos sobre o património da dança e aprender a distinguir os limiares da técnica, da estética e da poética.

Coordenação Questões Práticas: Joclécio Azevedo
Iniciativa no âmbito do Programa Educativo da Circular Associação Cultural 
Parceria: Escola de Dança do Centro Municipal de Juventude de Vila do Conde

[Inscrições encerradas]

Informações: info@circularfestival.com | 96 749 04 71
_________________________________

Biografia

Ezequiel Santos
Docente, investigador e psicólogo. É director e curador na Forum Dança, associação da qual faz parte desde 1996 e onde lecciona regularmente os seminários de História e Teoria da Dança. Foi programador convidado pela EIRA para Cumplicidades - Festival Internacional de Dança de Lisboa (2015 e 2016). Estudou fotografia, teatro e dança em Lisboa e Nova Iorque. Dançou em criações de Madalena Victorino, Rui Nunes e Francisco Camacho entre 1990-1996 apresentando-se em território europeu. Escreveu para publicações de dança em Portugal, Alemanha, Eslovénia e Espanha e tem participado frequentemente em colóquios internacionais nas áreas da dança e do turismo como moderador ou conferencista. Colaborou nos livros "Movimentos Presentes" (M. J. Fazenda, Ed., Cotovia & Danças na Cidade, 1997), "Corpo Fast Forward" (Porto 2001 & Número, Ed.), "Documento Dez Mais Dez" (Re.Al/João Fiadeiro & Forum Dança, Ed., 2001), “Tourfly – Inovação e Futuro: contributos para o desenho da oferta turística na Área Metropolitana de Lisboa (Lisboa-01-0145-Feder-023368), Eshte, 2019” e “Strategic Business Models to Support Demand, Supply, and Destination Management in the Tourism and Hospitality Industry (IGI Global, 2020).

Questões práticas

O ciclo “Questões práticas” pretende dar a conhecer, com a ajuda de diversos convidados, práticas de investigação, escrita, performance, pensamento e transmissão de conhecimento. Cada encontro funciona como um exercício de ativação do imaginário social, poético e político dos participantes e dos convidados, procurando intersecções entre práticas artísticas e não artísticas. Organizado em torno de momentos separados no tempo, mas que se articulam entre si, em formatos distintos, com diferentes protocolos de participação, este ciclo utiliza diferentes dinâmicas de encontro, promovendo o envolvimento do público nas questões em discussão.
— Joclécio Azevedo

Fotografia: Rudolf Laban and the Geometry of Dance | Iwona Wojnicka/Creative Commons
30.04.20
  Circular Associação Cultural | Informação sobre actividades públicas 18.03.20
Circular Associação Cultural | Informação sobre actividades públicas

No atual contexto das medidas de excepção decretadas para a contenção da propagação da Covid-19, as actividades públicas da Circular Associação Cultural previstas para as próximas semanas foram canceladas.     Estas actividades incluíam o lançamento do jornal Coreia #2 em Vila do Conde, Porto e Lisboa (13 e 14 Março), a aula com Rita Castro Neves, na Escola José Régio, no âmbito do programa educativo 'Corporalidade, temporalidade e pensamento' e a sessão do projecto Questões Práticas com João Bento, na ESMAD. As actividades serão, dentro do possível e em articulação com as entidades parceiras e convidados, reagendadas para datas futuras a anunciar.                       Seguimos atentos de forma consciente e responsável ao desenvolvimento da situação epidemiológica e empenhados no esforço colectivo para que regressemos à normalidade o mais brevemente possível.
18.03.20
  Cancelado lançamento do jornal Coreia #2 | Vila do Conde, Porto e Lisboa 12.03.20
Cancelado lançamento do jornal Coreia #2 | Vila do Conde, Porto e Lisboa

Face às recomendações e orientações da Direção-Geral da Saúde para a contenção da propagação do novo Coronavírus (COVID-19), as sessões de lançamento do jornal Coreia #02 previstas para os dias 13 de Março, em Vila do Conde e no Porto, e para 14 de Março, em Lisboa, foram canceladas.

Tentaremos, dentro do possível, reagendar o lançamento da nova edição do jornal Coreia para datas futuras.
 
+ info
www.coreia.pt
www.circularfestival.com
parasita.hotglue.me
© Colagem patente no livro Lilliput Pocket Omnibus (1937-38) produzido por Stefan Lorant (Londres: Pocket Publications)
12.03.20
  Programa educativo | Oficinas e espectáculo Lusco-Fusco para escolas | 11 a 13 Nov 05.11.19
Programa educativo | Oficinas e espectáculo Lusco-Fusco para escolas | 11 a 13 Nov

OFICINA LUSCO-FUSCO orientada por Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira
Escolas EB1 de Azurara, EB1 Bento de Freitas e EB1 da Junqueira
11 e 12 Novembro

ESPECTÁCULO INFANTIL "LUSCO FUSCO" de Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira
13 Novembro 10:30 + 15:00 Auditório Municipal de Vila do Conde
Sessões escolares com Escolas EB1 de Azurara, EB1 Bento de Freitas e EB1 da Junqueira

Dando continuidade ao trabalho iniciado em 2018 com o 1º ciclo do Ensino Básico, a Circular propõe em 2019 duas actividades complementares: a realização de uma Oficina e a apresentação de um espectáculo infantil gratuito.
Dirigido a turmas das Escolas EB1 de Azurara, EB1 Bento de Freitas e EB1 da Junqueira e numa perspectiva descentralizadora, este projecto propõe sensibilizar os mais jovens para as práticas performativas e proporcionar a fruição artística e cultural através de actividades lúdicas e reflexivas.

Organização: Circular Associação Cultural | Parcerias: Escola EB1 Azurara, Escola EB1 Bento de Freitas, Escola EB1 da Junqueira, Junta de Freguesia de Azurara, Junta de Freguesia da Junqueira, Junta de Freguesia de Vila do Conde.

Mais info [aqui]

Imagem © Margarida Ribeiro
05.11.19
  Oficina de experimentação e alteração de circuitos electrónicos e geradores de ruído | MO#1 | 19 Out 18:00 15.10.19
Oficina de experimentação e alteração de circuitos electrónicos e geradores de ruído | MO#1 | 19 Out 18:00

Oficina de experimentação e alteração de circuitos electrónicos e geradores de ruído por Miguel Pipa
Modos de usar-oficina #1 (apresentação informal)
19 Outubro (sáb) 18:00 | Rua do Farol 208 (Caxinas, Vila do Conde) | Entrada livre
_________

Esta apresentação informal conclui a oficina de construção de instrumentos realizada pelo músico Miguel Pipa, sendo integrada na série de processos colaborativos desenvolvidos pelo projeto “Modos de Usar”, de Joclécio Azevedo, iniciado em Vila do Conde em 2018. 
Miguel Pipa trabalha o som a partir da reutilização e transformação de circuitos electrónicos encontrados em brinquedos, aparelhos electrónicos e diversos gadgets tecnológicos, amplificando-os e combinando as suas propriedades sonoras com outros processos analógicos. Os aparelhos e novos instrumentos produzidos servem como base para o desenvolvimento de ambientes sonoros e performativos, activados em conjunto pelos participantes. 
“Modos de usar” é um projecto que pretende constituir uma constelação de colaborações com participantes locais em Vila do Conde, desdobrando-se em oficinas, workshops, encontros e apresentações onde são partilhados e discutidos instrumentos e práticas de trabalho com artistas convidados, integrando actividades para participantes profissionais e não profissionais.

Biografia
Miguel Pipa nasceu a 27 de abril 1980 em Vila do Conde. Sem formação académica por opção, foi, no entanto, adquirindo uma vasta experiência prática na área da música eletrónica, nomeadamente na investigação e performance, quer com instrumentos manipulados, quer com instrumentos integralmente construídos por si. Como formador tem desenvolvido workshops de “alteração de circuitos” e criação de instrumentos musicais em parceria com inúmeras instituições como a Casa da Música (Porto), LCD (Guimarães), Museu de Arte Contemporânea de Vigo (Espanha), Festival Muco (Cartaxo), Festival Circular (Vila do Conde), Sonoscopia (Porto) e o Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas (Açores).

Duração: 40 minutos (aprox.)
Lotação limitada | Entrada livre
Horário: 18h00
Local: Rua do Farol, 208, Caxinas
Reservas: info@circularfestival.com  
_______

Foto: © DR
15.10.19
  "Revoada" de Eva Ângelo no Mexe com a presença de Álvaro Laborinho Lúcio | 13 Set, 20:00, Cinema Trindade - Porto 04.09.19
"Revoada" de Eva Ângelo no Mexe com a presença de Álvaro Laborinho Lúcio | 13 Set, 20:00, Cinema Trindade - Porto

Revoada resulta da vontade de facilitar o acesso ao pensamento de Álvaro Laborinho Lúcio. Deambulamos pelos caminhos da educação, da arte e da cidadania. Muda-se o sítio daquilo que por hábito se instalou e deixou de nos interpelar. Dá-se lugar ao espanto, reacendem-se as perguntas, o pensamento e a acção.

Mexe - Encontro Internacional de Arte e Comunidade [programa]
13 Set | Sex | 20:00 | Cinema Trindade - Porto

________________________________

REVOADA · Portugal, 2003 - 2017, Doc, [ProRes, Cor, 47’]

Trailer [link]

Deambulamos pelos caminhos da educação, da arte e da cidadania e percebemos que assistir ao exercício do pensamento, enquanto prática da inteligência e na sua dimensão poética, pode ajudar à transformação.
Este documentário resulta da vontade de partilhar e assim facilitar o acesso ao pensamento de Álvaro Laborinho Lúcio.
Aqui a forma como se diz, o que se diz, é mobilizadora da alma e potenciadora do agir.
Importa ir. Importa que lutemos por aquilo em que acreditamos e “que não nos apeemos cedo de mais”. Importa que façamos os caminhos apesar das pedras e com as pedras.
O rigor e o entusiasmo das convicções que aqui se apresentam são proporcionais à disponibilidade para reconhecer que outras podem ser melhores.
Esta forma de dizer o mundo, de se referir a ele, de mudar de sítio aquilo que por hábito se instalou e deixou de nos interpelar, dá lugar ao espanto e assim torna visível e cria outras possibilidades, outras paisagens, reacendendo as perguntas, o pensamento e a ação.
Magda Henriques

*Revoada: refere-se a um voo conjunto e a um retorno à raiz. Em sentido figurado significa também ensejo e oportunidade. Tomamos a revoada, enquanto momento inesperado, desconcertante e belo para aludirmos ao encontro com Álvaro Laborinho Lúcio.

Realização e Montagem: Eva Ventura Ângelo
Pós-Produção Áudio: Quico Serrano
Programação e Participação Especial: Magda Henriques
Produção: Circular Associação Cultural
Apoio: Delta Cafés
Agradecimento especial a Álvaro Laborinho Lúcio
Agradecimentos a Dina Magalhães e Paulo Vasques, a Carmen Calisto e Inês Andrade. Aos jovens e adultos, nas conversas e debates, Academia Contemporânea do Espectáculo, Casa do Professor em Braga, Casa da Escrita em Coimbra. A Maria Ana Krupenski, Sr. Fernando, Henrique Caetano e Sónia Ângelo.

video-still © Eva Ângelo
04.09.19
  Questões Práticas: ciclo de encontros, conversas, performances 17.04.19
Questões Práticas: ciclo de encontros, conversas, performances

Ciclo de encontros que pretende dar a conhecer, com a ajuda de diversos  convidados, práticas de investigação, escrita, performance, pensamento, transmissão e de acção colaborativa. Cada encontro funcionará como um exercício de activação do imaginário social, poético e político dos participantes e dos convidados, procurando intersecções entre práticas artísticas e não artísticas. Dando ênfase a diferentes linguagens e entendimentos da prática enquanto elemento de transformação, iremos promover oscilações entre a dimensão individual e social da acção e entre modos de produção que invocam a materialidade e a imaterialidade. Organizado em torno de momentos que se articulam entre si, em formatos distintos, com diferentes protocolos de participação, o programa irá utilizar diferentes dinâmicas de encontro, promovendo o envolvimento do público nas questões em discussão. Iremos examinar estratégias de trabalho, de comunicabilidade, de sobrevivência e de produção do conhecimento, desmontando a aprendizagem e diluindo fonteiras entre disciplinas.

Coordenação Questões Práticas: desaprender continuamente: Joclécio Azevedo

Iniciativa no âmbito do Programa Educativo da Circular Associação Cultural



__________________________________________

ACTIVIDADES PASSADAS

15 de Dezembro 2018 (sáb), 12:30-15:30,
Centro de Memória de Vila do Conde
Inês Moreira (arquitecta/curadora) /
Susana Medina (museóloga)
+ Rebecca Moradalizadeh (artista plástica/performer)
LANDMARKS #04 + Almoço vegetariano
Iraniano + performance

13 de Abril 2019 (sáb), 15:00-17:00, Auditório Municipal de Vila do Conde
“Brinquedos”
uma aula da Girlschool
[Susana Mendes Silva + Alice Geirinhas]

15 de Junho (sáb), 15:00-18:00,
Centro de Memória de Vila do Conde
Joana Gorjão Henriques [Jornalista]
+
Fernanda Eugenio [Antropóloga] e Ana Dinger [Artista Plástica]
“Do Irreparável: o que pode uma ética de reparação?” – sessão de partilha

17.04.19
  'Modos de usar' de Joclécio Azevedo | Programa Fevereiro - Maio 2019 | Vila do Conde 17.04.19
'Modos de usar' de Joclécio Azevedo | Programa Fevereiro - Maio 2019 | Vila do Conde

Dando continuidade ao trabalho iniciado em 2018, estão a decorrer entre Fevereiro e Maio de 2019 novas acções do projecto “Modos de usar” de Joclécio Azevedo que, este ano, conta com a colaboração da escola de dança do Centro Municipal de Juventude de Vila do Conde, do músico Miguel Pipa e da curadora Eduarda Neves.

De 16 de Abril a 14 de Maio estará a ser realizada uma oficina coreográfica com alunas das turmas intermédio e adultos, cujo resultado será partilhado numa apresentação informal na escola.

O músico Miguel Pipa tem acolhido na sua oficina nas Caxinas uma residência artística intermitente do projecto, cujo objectivo será preparar um workshop-concerto com a comunidade local no segundo semestre de 2019.

Eduarda Neves será a primeira convidada a participar no processo documental que irá acompanhar o projecto, contribuindo para a publicação que irá ser lançada na fase final, em 2021.

“Modos de usar” é um projecto desenvolvido no âmbito da Circular Associação Cultural com a duração de 4 anos (2018-2021) que pretende constituir uma constelação de colaborações com participantes locais em Vila do Conde, desdobrando-se em oficinas, workshops, encontros e apresentações onde se ensaiam formas de colaboração e partilham-se instrumentos de trabalho com artistas convidados. Este projecto constitui-se como um processo orgânico de mapeamento de grupos, associações e estruturas locais que desenvolvem projectos no campo das artes performativas, estendendo-se a participantes profissionais e não profissionais.

PROGRAMA

16 ABR - 14 MAI
Oficina coreográfica com alunas das turmas intermédio e adultos da escola de dança do Centro Municipal de Juventude de Vila do Conde

FEV - DEZ
Residência artística intermitente do projecto + workshop-concerto com o músico Miguel Pipa

Imagem © direitos reservados.
17.04.19
  Questões Práticas: ciclo de encontros, conversas e performances | 13 ABR, 15:00-17:30, Auditório Municipal de Vila do Conde 13.04.19
Questões Práticas: ciclo de encontros, conversas e performances | 13 ABR, 15:00-17:30, Auditório Municipal de Vila do Conde

Questões Práticas: desaprender continuamente
Ciclo de encontros, conversas e performances

13 ABR (sáb),15:00-17:30 Auditório Municipal de Vila do Conde

“Brinquedos”
uma aula da Girlschool
[Susana Mendes Silva + Alice Geirinhas]

Entrada gratuita mediante inscrição prévia através de envio de e-mail para info@circularfestival.com com a indicação do nome e a expressão “Questões Práticas 02 | inscrição” no assunto.

Informações: info@circularfestival.com | 967490471

Girlschool é um projecto de aulas performativas das artistas Susana Mendes Silva e Alice Geirinhas sobre temas ligados à arte e à sexualidade, mas que é também um espaço de liberdade, inclusivo e igualitário, e que vem acontecendo com regularidade desde 2016. Para o ciclo “Questões Práticas: desaprender continuamente”, integrado no programa educativo da Circular Associação Cultural, apresentam a sessão “Brinquedos” que será teórico-prática e para a qual não é necessário ter qualquer experiência artística prévia. Na Girlschool existe sempre uma mesa comum, um projector de vídeo, material de trabalho e vinho. A participação é livre mediante inscrição prévia.

Susana Mendes Silva é artista plástica e performer. O seu trabalho integra uma componente de investigação e de prática arquivística, que se traduz em obras cujas referências históricas e políticas se materializam em exposições, acções e performances através dos mais diversos meios de produção. O seu universo contempla e reconfigura contextos sociais diversos sem perder de vista a singularidade do indivíduo. A sua intimidade psicológica ou a sua voz são inúmeras vezes veículos de difusão e recepção de mensagens poéticas e políticas que convocam e reactivam a memória dos participantes e espectadores.
Susana estudou Escultura na FBAUL e frequentou o programa de doutoramento em Artes Visuais (StudioBasedResearch) no GoldsmithsCollege, Londres, tendo sido bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. É Doutorada em Arte Contemporânea, pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, com a tese baseada na sua prática performativa – A performance enquanto encontro íntimo. É Professora Auxiliar na Universidade de Évora no curso de Arquitectura Paisagista.

Alice Geirinhas vive e trabalha em Lisboa e Coimbra.
Desde meados dos anos 80, tem vindo a desenvolver um corpo de trabalho ligado ao desenho e narratividade traduzido nas suas múltiplas formas: livro de artista, vídeo, instalação e performance.
Realizou diversas exposições individuais e colectivas em Lisboa, Oslo, Rio de Janeiro, Vigo, Madrid e Londres. Parte da sua obra gráfica está publicada no livro Alice (1999); dos livros publicados destaca Isto de Estar Vivo de Luiz Pacheco (Contraponto, 2000); e os livros de artista, A Nossa Necessidade de Consolo é Impossível de Satisfazer #2 (2003), Alice’sGuestBook (2010),TheCabinetofDr Alice (2014) e Manifesto Visual (2016).
Fez parte do coletivo artístico SparringPartners ( com João Fonte Santa e Pedro Amaral) e atualmente é uma das Girlschool (com Susana Mendes Silva) .
Doutorada em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, é professora auxiliar do Departamento de Arquitetura, Faculdade Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Coordenação Questões Práticas: desaprender continuamente: Joclécio Azevedo
Iniciativa no âmbito do Programa Educativo da Circular Associação Cultural

Classificação etária:
Maiores de 18 anos

__________________________________________

PRÓXIMA SESSÃO

15 JUN (programa a anunciar brevemente)
__________________________________________

ACTIVIDADES PASSADAS
15 DEZ (sáb), 12:30-15:30, Centro de Memória de Vila do Conde
Encontro com:
Inês Moreira (arquitecta/curadora)
Susana Medina (museóloga)
+
Rebecca Moradalizadeh (artista plástica/performer)
LANDMARKS #04
Almoço vegetariano Iraniano + performance.
13.04.19
  Jornal Coreia com direcção de João dos Santos Martins, Artista Residente da Circular Associação Cultural 25.02.19
Jornal Coreia com direcção de João dos Santos Martins, Artista Residente da Circular Associação Cultural


__________________________________________

www.coreia.pt
__________________________________________

Coreia é um novo projecto editorial de carácter artístico, crítico e discursivo, a propósito das artes em geral, firmado numa relação umbilical com a dança. Independente, experimental e internacionalista, o jornal, de tiragem semestral e distribuição gratuita, está focado no discurso produzido pelas obras e pelos artistas, e preocupado em divulgar formatos vários como partituras, manifestos, entrevistas, crónicas, ensaios, críticas e reflexões em língua portuguesa.

Este projecto surge no contexto da Circular, associação cultural que promove desde 2005 o Circular Festival, em Vila do Conde, centrando a sua actividade na divulgação das artes performativas, na relação do contexto local com as práticas artísticas e na reflexão sobre a criação contemporânea. Com o alargamento da actividade da Circular inicia-se um programa educativo e o projecto Artista Residente, integrando este último, desde 2015, João dos Santos Martins. Este projecto activa uma relação de proximidade entre a Circular e os seus artistas associados, que se traduz na produção e difusão dos seus trabalhos e no desenvolvimento de projectos de intervenção local.

A convite da Circular, João dos Santos Martins foi desafiado a desenvolver um projecto que ampliasse o alcance da colaboração, ao qual o artista propôs a criação de um projecto editorial da sua autoria, que se materializa no jornal Coreia.

Coreia pretende contribuir para a diversidade de discussão em torno das artes, num periódico com distribuição gratuita em todo o território nacional em Bibliotecas, Centros de Documentação e Teatros.

A primeira edição desta publicação, com uma tiragem de três mil exemplares, reúne textos de Ana Rita Teodoro, Christophe Wavelet, Cyriaque Vilemaux, Carlos M. Oliveira, Duarte Nuno Amado, Eros 404, Felipe Ribeiro, Marcelo Evelin, Moriah Evans, Takashi Morishita, Tatsumi Hijikata e Rita Natálio. A próxima edição será publicada em Setembro de 2019.

A Circular Associação Cultural promoveu várias sessões de lançamento do Jornal Coreia de 21 a 24 de Fevereiro de 2019 no Porto (Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto), Coimbra (Círculo de Artes Plásticas de Coimbra), Vila do Conde (Biblioteca Municipal José Régio), Braga (Livraria Centésima Página) e Lisboa (Rua das Gaivotas 6), nas quais o Jornal foi apresentado pelo editor e pelos seus produtores, e com a participação especial de Ana Rita Teodoro que realizou uma leitura-demonstração da sua partitura-poema Orifice Paradis publicada neste primeiro número.

 
Ficha técnica e artística jornal Coreia:

Direcção Editorial João dos Santos Martins | Design Gráfico Isabel Lucena | Contribuição Ana Rita Teodoro, Christophe Wavelet, Cyriaque Vilemaux, Carlos M. Oliveira, Duarte Amado, Eros404, Felipe Ribeiro, Marcelo Evelin, Moriah Evans, Takashi Morishita, Tatsumi Hijikata, Rita Natálio | Tradução José Maria Vieira Mendes, Daniel Lühmann, Marta Morais, Patrícia Silva | Revisão Daniel Lühmann, Pedro Cerejo | Transcrição Carlos M. Oliveira | Edição, Produção e Distribuição Circular Associação Cultural | Co-Produção Associação Parasita | Site Sara Orsi | Apoios Biblioteca Municipal José Régio –  Vila do Conde, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Livraria Centésima Página, Rua das Gaivotas 6  Agradecimentos Ana Bigotte Vieira, André e. Teodósio, Christine Greiner, Cyriaque Villemaux, David Cabecinha, Hugo Dunkel, José Carlos Duarte, Kazuki Fujita, Patrick De Vos, Pierre-Louis Denis (William Klein Studios), Sabine Macher, Takashi Morishita (Centro de Arte da Universidade de Keio, Japão), Tomo Kosuma (Masayuki Fukase Archives)



 
www.coreia.pt
25.02.19
  Lançamento e apresentação do jornal Coreia com a participação especial de Ana Rita Teodoro | Porto, Coimbra, Vila do Conde, Braga, Lisboa 21.02.19
Lançamento e apresentação do jornal Coreia com a participação especial de Ana Rita Teodoro | Porto, Coimbra, Vila do Conde, Braga, Lisboa

Coreia é um novo projecto editorial de carácter artístico, crítico e discursivo, a propósito das artes em geral, firmado numa relação umbilical com a dança. Independente, experimental e internacionalista, o jornal, de tiragem semestral e distribuição gratuita, está focado no discurso produzido pelas obras e pelos artistas, e preocupado em divulgar formatos vários como partituras, manifestos, entrevistas, crónicas, ensaios, críticas e reflexões em língua portuguesa.

A publicação será apresentada pelo editor e pelos seus produtores, e contará com a participação especial de Ana Rita Teodoro que fará uma leitura-demonstração da partitura-poema Orifice Paradis, publicada neste primeiro número.

PROGRAMA

21 FEV (qui), 17:00
Porto - Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto/Sintoma

22 FEV (sex), 17:00
Coimbra - Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (Auditório do Círculo Sereia)

23 FEV (sáb), 16:00
Vila do Conde - Biblioteca Municipal José Régio

+ 18:30
Braga - Livraria Centésima Página

24 FEV (dom), 18:00
Lisboa - Rua das Gaivotas 6

Ficha técnica e artística:
Direcção editorial: João dos Santos Martins
Autores: Ana Rita Teodoro, Christophe Wavelet, Cyriaque Vilemaux, Carlos M. Oliveira, Duarte Nuno Amado, Eros 404, Felipe Ribeiro, Marcelo Evelin, Moriah Evans, Takashi Morishita, Tatsumi Hijikata, Rita Natálio
Tradução: José Maria Vieira Mendes, Marta Morais
Revisão: Daniel Lühmann, Pedro Cerejo
Design gráfico: Isabel Lucena 
Edição, produção e distribuição: Circular Associação Cultural
Apoio: Associação Parasita, Biblioteca Municipal José Régio de Vila do Conde,  Livraria Centésima Página, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Rua das Gaivotas 6,  Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Agradecimentos: Christine Greiner, David Cabecinha, Takashi Morishita, Arquivo de Tatsumi Hijikata do Centro de Arte da Universidade de Keio (Japão)


21.02.19