imagem da secção
Circular
Programa
linha
Programa disponível para download (PDF)
Programa disponível para download (PDF)
Clique aqui para fazer o download (PDF).
foto para Cinco Filmes e uma Máscara Ricardo Jacinto  Cinco Filmes e uma Máscara 22 Set - 03 Nov 
Seg - Sáb | 14:00 - 18:00
Solar - Galeria de Arte Cinemática   Exposição

Inauguração: 22 Set | Sáb | 18:30     
foto para Cinco Filmes e uma Máscara
Cinco Filmes e uma Máscara
Ricardo Jacinto 
A intervenção no espaço da Galeria Solar por ocasião do Festival Circular 2018 incluirá a apresentação de várias instalações vídeo e um concerto-instalação especificamente desenhado em articulação com o espaço da galeria e a exposição, que será apresentado no dia 29 de Setembro. 

www.ricardojacinto.com

www.osso.pt

Biografias

Ficha artística/ técnica: 
Concepção: Ricardo Jacinto | Curadoria: Dina Magalhães, Nuno Rodrigues e Paulo Vasques | Curador assistente: Pedro Dourado | Coordenação de Produção: Nuno Torres | Uma Produção Circular Festival de Artes Performativas em co-produção com Curtas Metragens CRL / Solar - Galeria de Arte Cinemática | Apoio: OSSO colectivo

Classificação etária: M6
© 
OSSO colectivo
22 Set - 03 Nov
Seg - Sáb | 14:00 - 18:00
Solar - Galeria de Arte Cinemática (Rua do Lidador, 147 - Google Maps)  
Exposição

Inauguração
: 22 Set | Sáb | 18:30
Concerto-instalação: 29 Set | Sáb |19:30   
__

Entrada livre

foto para ad noctum Christian Rizzo ad noctum 22 Set | Sáb | 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde
Dança
foto para ad noctum
ad noctum
Christian Rizzo
O impulso deste projecto é antes de tudo a minha vontade de reunir Julie Guibert e Kerem Gelebek, intérpretes emblemáticos das minhas criações. Apoiada no amplo repertório das “danças de pares”, ad noctum inscreve-se numa pesquisa coreográfica que tenta devolver uma visibilidade actual a motivos decorrentes da prática da dança popular e por vezes anónima. Uma escrita no limite do excesso e ao centro do invisível, entre ciclos rodopiantes, rebuliços nervosos e contidos já à beira do desfalecimento. Ao seu lado, um totem/monólito, combinando luz, som e imagens, é convidado como terceiro protagonista, portador de uma linguagem própria, como caixa de ressonância amplificada pelas relações dançadas. Esta peça, uma homenagem à obscuridade, é de novo motivo para formular uma partitura-paisagem onde a música cinematográfica de Nicolas Devos e de Penélope Michel entra em diálogo com as vibrações luminosas de Caty Olive e as imagens de Iuan-Hau Chiang e Sophie Laly.
— Christian Rizzo, maio 2015

ici-ccn.com
vimeo.com/153509016 (Teaser)

Biografia

Ficha artística/ técnica:
Coreografia, cenografia e figurinos: Christian Rizzo | Interpretação: Kerem Gelebek e Julie Guibert | Música original: Pénélope Michel e Nicolas Devos (Cercueil / Puce Moment) | Música adicional: Arvo Pärt | Desenho de luz: Caty Olive |  Imagens: Iuan-Hau Chiang e Sophie Laly | Assistência artística: Sophie Laly | Concepção de Figurinos: Laurence Alquier | Colaboração grafismo cénico: Michel Martin | Direcção técnica: Thierry Cabrera | Operação de Luz: Yannick Delval | Operação de som: Antonin Clair | Assistente do Director de Palco: Jean-Cristophe Minart | Produção, difusão: Anne Fontanesi e Anne Bautz | Montagem de produção: Bureau Cassiopée | Produção executiva: ICI — CCN Montpellier / Occitanie | Co-produção: l’association fragile, le lieu unique – Nantes, TU - Nantes, Centre de Développement Chorégraphique Toulouse / Midi-Pyrénées, Les Spectacles vivants – Centre Pompidou – Paris, Centre chorégraphique national de Tours (dans le cadre de l’accueil studio), LUX – Scène nationale de Valence, Festival de Danse Cannes, MC2: Grenoble | Projecto apoiado pelo programa In Vivo Electro de l’Académie Manifeste-2015 (collaboration IRCAM / Les Spectacles vivants - Centre Pompidou) / ICI-CNN Occitanie / Pyrénées-Méditérannée par le Ministère de la Culture et de la Communication – Direction Régionale des Affaires Culturelles Languedoc-Roussillon, le Conseil Régional Languedoc-Roussillon-Midi-Pyrénées, Montpellier Méditerranée Métropole.

Duração aproximada: 55 minutos
Classificação etária: M6

Christian Rizzo / ICI – CNC Montpellier , “ad noctum” © Marc Coudrais
22 Set | Sáb | 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde (Avenida Dr. João Canavarro - Google Maps)
Dança

Estreia Nacional
__

Bilhetes e reservas
foto para Concerto de lançamento de disco João Pais Filipe Concerto de lançamento de disco 22 Set | Sáb | 22:30
Teatro Municipal de Vila do Conde (Salão Nobre)
Música
foto para Concerto de lançamento de disco
Concerto de lançamento de disco
João Pais Filipe
No seu projecto a solo João Pais Filipe utiliza um kit customizado de percussão adaptado para tocar novos ritmos, timbres e texturas. É na exploração de uma pluralidade rítmica em torno de ciclos, da repetição, da utilização de tempos ímpares, de uma mecanização humana em que o primitivo e o contemporâneo se encontram e se fundem.
— João Pais Filipe

joao-pais-filipe.tumblr.com
www.youtube.com (vídeo “Nine Doors” de João Pais Filipe)

Biografia

Duração aproximada: 45 minutos
Classificação etária: M6

João Pais Filipe © Diogo Rapazote e Carolina Bagulho 

22 Set | Sáb | 22:30
Teatro Municipal de Vila do Conde - Salão Nobre (Avenida Dr. João Canavarro - Google Maps)
Música
__

Entrada livre mediante levantamento de bilhete

foto para Dos Suicidados - O Vício de Humilhar a Imortalidade Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão Dos Suicidados - O Vício de Humilhar a Imortalidade 23 Set | Dom | 16:30-18:30
Teatro Municipal de Vila do Conde
1º Encontro-Debate
foto para Dos Suicidados - O Vício de Humilhar a Imortalidade
Dos Suicidados - O Vício de Humilhar a Imortalidade
Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão
Prosseguindo uma pesquisa coreográfica intimamente ligada à filosofia e à literatura, Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão partem, desta vez, de Raul Leal.
Em "Sodoma Divinizada" e "O Anticristo" o autor contrapõe à metafísica da Saudade a "Vertigem", o "manifestar-se puro, berrante, evidente, bestial de Deus", enquanto força motriz de uma Apolytrosis, estética e vital. Apolytrosis, do grego, significa redenção ou resgate, enquanto Redimere, o termo latino, significa, literalmente, comprar de volta, e dá origem a Redemptio: o efeito de redimir ou, ainda, o acto de libertação, de reparo, salvação.
— Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão

nuisiszobop.com
www.facebook.com/Nuisis-Zobop
cargocollective.com/joanavonmayer

Joana von Mayer Trindade. Coreógrafa, Performer e Professora. Mestre em SODA Solo/ Dance/ Authorship, Universidade das Artes de Berlin UDK/HZT). Licenciada em Psicologia pela Universidade do Porto. Realizou o Curso de Intérpretes de Dança Contemporânea do Forum Dança e o Curso Essais do CNDC d’Angers.

Hugo Calhim Cristóvão. Encenador, Professor e Investigador. Doutorando em Filosofia (FLUP) e Mestre em Filosofia Contemporânea, com a tese “The Dionysian, Zos vel Thanatos, and the Zoetic Art – Sorcery of Austin Osman Spare”. É Licenciado em Filosofia e em Teatro- Ramos de Interpretação e Direção de Atores (ESMAE-IPP).

Juntos são cofundadores do grupo de pesquisa NuIsIs ZoBoP (2004) e criadores das peças: “She Will Not Live”, “VELEDA”, “ZOS (She Will Not Live)”, “Meninas”, "O céu é apenas um disfarce azul do inferno" e “Da insaciabilidade no caso ou ao mesmo tempo um milagre”.

Celeste Natário, Docente da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Coordena o projecto de investigação “Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal” - Instituto de Filosofia da Universidade do Porto.

Claúdia Marisa, Professora Adjunta na ESMAE. Investigadora integrada no Instituto de Sociologia da Universidade do Porto. Doutorada em Motricidade Humana – Dança (FMH/UTL-2007), com mestrado em Sociologia da Arte (FLUP/1998), bacharelato em Teatro (ESMAE/1996), e licenciatura em Sociologia (FLUP/1993).

Ezequiel Santos, Psicólogo e psicoterapeuta, doutorando em arte contemporânea (Colégio das Artes/Universidade de Coimbra), docente na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril na área de Ciências Sociais e Humanidades, docente convidado na Escola Superior de Dança em Lisboa em 2005/2006. Programador convidado pela EIRA para Cumplicidades - Festival Internacional de Dança de Lisboa (2015 e 2016). É diretor e curador na Forum Dança associação da qual faz parte desde 1996. Leciona regularmente os seminários de História e Teoria da Dança.

Rui Lopo
, Doutorando em Filosofia FLUL. Licenciatura Filosofia FLUL. Membro da direcção da Associação Agostinho da Silva e do grupo de estudo do seu espólio até 2012. Membro de: C.Filosofia da U.Lisboa, do Instituto de Filosofia da U.Porto, Centro de Estudos do Pensamento Português Universidade Católica e do I. Filosofia Luso-Brasileira.

Sofia Vilar
, Psicóloga Clínica e da Saúde, com especialidade em Psicoterapia (Ordem dos Psicólogos Portugueses). Doutorada em Fundamentos Psicanalíticos (Fac. de Filosofia da Univ. Complutense de Madrid-2015).

Ficha Artística e Técnica:
Direcção artística: Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristovão | Co-produtores: Centro Cultural Vila Flor – Guimarães, Teatro Municipal do Porto,  Câmara Municipal de Viana do Castelo, Theatro Circo, Circular Associação Cultural e Asta- Festival ContraDança | Parceiros: Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Instituto de Sociologia da Universidade do Porto, Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e Instituto de Psicanálise do Porto.

Duração aproximada: 2 horas
Classificação etária: M6

© Joana von Mayer Trindade
23 Set | Dom | 16:30-18:30
Teatro Municipal de Vila do Conde (Avenida Dr. João Canavarro - Google Maps)

1º Encontro-Debate do projecto “Dos Suicidados - O Vício de Humilhar a Imortalidade" com a presença de Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristovão + Celeste Natário, Claúdia Marisa, Ezequiel Santos, Rui Lopo, Sofia Vilar
__

Entrada livre mediante levantamento de bilhete
foto para MU00: Slideshow [Modos de Usar] Joclécio Azevedo com Isabel Costa MU00: Slideshow [Modos de Usar] Residência artística: 18 – 25 Set Auditório Municipal de Vila do Conde

Conferência/performance:
25 Set | Terça | 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde
foto para MU00: Slideshow [Modos de Usar]
MU00: Slideshow [Modos de Usar]
Joclécio Azevedo com Isabel Costa
"Modos de usar" é um projecto que tem como objectivo agregar e apresentar propostas performativas que dialoguem com a questão da política do utilizador, aqui entendida enquanto possibilidade especulativa e enquanto ferramenta conceptual. Partindo do princípio de que somos todos utilizadores de ferramentas, de serviços, da linguagem, de instrumentos, de utensílios, de mecanismos e dispositivos físicos ou intelectuais, tentamos promover uma investigação colaborativa e aberta. Pretende-se interrogar a usabilidade das ferramentas no universo do trabalho, da produção artística e da produção intelectual. O processo de trabalho irá envolver artistas convidados e participantes locais. Pretende-se cruzar diferentes contextos de produção artística e promover um questionamento alargado sobre a prática de criação e partilha de ferramentas enquanto motores de activação de processos no campo das artes performativas. O trabalho desdobra-se também em modalidades de colaboração interinstitucional, interdisciplinar, extracurricular, pré-profissional e outros possíveis géneros a inventar, sendo desenvolvido em diversas etapas e integrando diferentes colaboradores durante quatro anos. Será constituído um conjunto de parcerias em Vila do Conde, tentando promover um diálogo permanente com o contexto urbano e culminando numa apresentação final em 2021. MU00: Slideshow é o primeiro momento público do projecto e conta com a colaboração de Isabel Costa.
— Joclécio Azevedo

Biografias

Ficha artística/ técnica:
Concepção e interpretação: Joclécio Azevedo | Colaboração e interpretação: Isabel Costa | Vídeo: João Rei Lima | Jworks

Joclécio Azevedo é Artista Residente da Circular Associação Cultural

Duração aproximada: 40 minutos
Classificação etária: M6

Two men stand with an unknown tool in an unknown village in Ontario, Canada © DR
Residência artística: 18 – 25 Set
Auditório Municipal de Vila do Conde (Praça da República - Google Maps)

Conferência/performance:
25 Set | Terça | 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde
__

Entrada livre mediante levantamento de bilhete
foto para Do you remember that time we were together and danced this or that dance? Clara Amaral Do you remember that time we were together and danced this or that dance? 26, 28, 29 Set | Qua, Sex, Sab |15:15, 16:00, 16:45, 17:30, 18:15
27 Set | Qui | 16:45, 17:30, 18:15, 21:30, 22:15
Teatro Municipal de Vila do Conde 
Performance
foto para Do you remember that time we were together and danced this or that dance?
Do you remember that time we were together and danced this or that dance?
Clara Amaral
To remember a dance by remembering the counts, the space, the feeling. Also, the sweat, the steps and context; to remember the memory of what we remember dancing, the ones that we danced with or imagined while dancing. To remember a dance that we never really danced. Dancing as a fake title, an imagination, fantasy and fiction.

Esta performance apresenta uma publicação imaterial. Em vez da forma impressa, a publicação foi decorada por um performer e é dita oralmente, em sessões individuais, com a duração de 30 minutos.
— Clara Amaral

Performance falada em inglês

claraamaral.tumblr.com

www.theaterkrant.nl (recorte de imprensa)

Biografia

Ficha artística/ técnica:
Uma publicação escrita por Clara Amaral, em diálogo com Lana Čoporda, Loïc Perela, Magda Widlak, Ofir Yudilevitch, Serge Amoussou-guenou, and Yang Zhen | Designer Gráfico: Dongyoung Lee | Consultor Editorial: Becket Mingwen | Decorado por Clara Amaral e Loïc Perela | Produzido por Julidans, Amsterdam

Duração aproximada: 30 minutos
Classificação etária: M12


© DR
26 Set | Qua |15:15, 16:00, 16:45, 17:30, 18:15
27 Set | Qui | 16:45, 17:30, 18:15, 21:30, 22:15
28 Set | Sex | 15:15, 16:00, 16:45, 17:30, 18:15
29 Set | Sáb | 15:15, 16:00, 16:45, 17:30, 18:15
Teatro Municipal de Vila do Conde (Avenida Dr. João Canavarro - Google Maps)
Performance Estreia Nacional
__

- Sessão individual (1 pessoa) de 30 minutos aprox.
- Aconselha-se a chegada atempada à performance. Será permitida uma tolerância de atraso máxima de 7 minutos.
Performance falada em inglês

Bilhetes e reservas




foto para Aula aberta José Alberto Gomes e João Tiago Dias Aula aberta 27 Set | Qui | 18:30
Conservatório de Música de Vila do Conde
Aula aberta
foto para Aula aberta
Aula aberta
José Alberto Gomes e João Tiago Dias
Aula aberta com o compositor José Alberto Gomes e o percussionista João Tiago Dias que abordará o processo de mediação/proximidade entre compositor e intérprete na criação da obra artística.
Iniciativa realizada em parceria com o Conservatório de Música de Vila do Conde, no âmbito da apresentação da obra "Auto-retrato" [para tempo, multipercussão, luz, electrónica e performer] (29 de setembro, 15:30 - 19:30, Auditório Municipal de Vila do Conde), de João Tiago Dias/José Alberto Gomes.

Público-alvo: público geral e alunos do Conservatório.

http://jasg.net/Home.html
www.joaotdias.com


© DR
27 Set | Qui | 18:30
Conservatório de Música de Vila do Conde (Avenida Júlio Graça, 580 - Google Maps)
Aula aberta
__

Entrada livre


foto para Onde está o casaco? Ana Jotta, Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins Onde está o casaco? 28 Set | Sex | 21:30
Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde
Dança
foto para Onde está o casaco?
Onde está o casaco?
Ana Jotta, Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins
Onde está o casaco?

Biografias
João dos Santos Martins é Artista Residente da Circular Associação Cultural.

Classificação etária: M14

© DR    
28 Set | Sex | 21:30
Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde (Av. Dr. Artur da Cunha Araújo, 12 - Google Maps
Dança

Estreia Absoluta
__

Entrada livre
foto para João Tiago Dias/José Alberto Gomes "Auto-retrato" (para tempo, multipercussão, luz, electrónica e performer) 29 Set | Sáb | 15:30 – 19:30
Auditório Municipal de Vila do Conde
Música
foto para
"Auto-retrato" (para tempo, multipercussão, luz, electrónica e performer)
João Tiago Dias/José Alberto Gomes
Obra que se situa num espaço indefinido entre a instalação e a performance em que os dois estados se complementam e se constroem numa mutação lenta e gradual. Abolindo a separação entre a estrutura musical e tempo performático, é explorado um intenso momento sensorial de extremos e de enganos em que o limite do performer e a ilusão das suas fraquezas são testados na construção de uma única tarefa, a persistência de um quadro.
— José Alberto Gomes

www.joaotdias.com
http://jasg.net/Home.html

Biografias

Ficha artística/ técnica:
Direcção e interpretação
: João Tiago Dias | Composição: José Alberto Gomes | Apoio: Criatório - Câmara Municipal do Porto | Agradecimentos: Drumming GP, pai Arlindo e tio Manuel e João Pais Filipe

Performance inserida no âmbito do projecto de João Tiago Dias DiRE-SoNo: "Discursos de (R)Evolução do Som No Espaço”
DiRE-SoNo é um Concerto/Instalação onde se pretende que a performance e o espaço se tornem inseparáveis da experiência, oferecendo uma perspetiva diferente de fruição da performance. Este formato tem como objetivo a libertação de “regras” inerentes a um concerto convencional de palco, possibilitando uma maior proximidade com o público oferecendo ao mesmo uma oportunidade singular de maior flexibilidade para desfrutar do “concerto/instalação”, enquanto performance artística. DiRE-SoNo será o resultado de um intenso trabalho colaborativo de exploração e criação entre intérprete e um coletivo de 5 compositores, tendo como repercussão a criação de novas obras para percussão solo com o objetivo de cada uma ter voz própria, mas que ao mesmo tempo se pronuncie entre elas um discurso conjunto e homogéneo.

Intérprete:
- João Tiago Dias (Percussão)

Colectivo de compositores participantes no projeto:
- José Alberto Gomes
- Igor C. Silva
- Pedro Junqueira Maia
- Rui Penha
- Carlos Guedes

Duração: 4 horas [o público poderá entrar e sair durante a apresentação] 
Classificação etária: M6

Foto: Escultura Moderna Nº2 © Nelson Silva Sousa


29 Set | Sáb | 15:30 – 19:30
Auditório Municipal de Vila do Conde (Praça da República - Google Maps)
Música
Duração: 4 horas [o público poderá entrar e sair durante a apresentação]  

Estreia Absoluta
__

Entrada livre mediante levantamento de bilhete



foto para MEDUSA SPECTRUM Ricardo Jacinto + Nuno Torres MEDUSA SPECTRUM 29 Set | Sáb | 19:30
Solar - Galeria de Arte Cinemática   
Concerto-instalação
foto para MEDUSA SPECTRUM
MEDUSA SPECTRUM
Ricardo Jacinto + Nuno Torres
No âmbito da exposição 'Cinco Filmes e uma Máscara', Ricardo Jacinto e Nuno Torres apresentam a 29 de Setembro, às 19:30, na Solar Galeria de Arte Cinemática, o concerto-instalação 'MEDUSA SPECTRUM' para violoncelo, electrónica, rádios e objecto ressonante.

Ricardo Jacinto: violoncelo e electrónica
Nuno Torres: rádios e electrónica

co-produção: OSSO colectivo

Ricardo Jacinto e Nuno Torres têm mantido uma colaboração contínua nos últimos anos, partilhando vários projectos em duo e em articulação com um conjunto vasto de músicos, entre eles Manuel Mota, Ricardo Guerreiro, Shiori Usui, Susana Santos Silva, C. Spencer Yeh, Diogo Alvim, João Pais Filipe, Gustavo Costa e Nuno Morão.
Iniciativas como CACTO, PARQUE, LES VOISINS, EYE HEIGHT e TERRITÓRIOS TEMPORÁRIOS têm servido de mote para uma partilha musical e sonora com apresentação em diversos locais como CCB - Lisboa, Museu de Serralves - Porto, Centre Culturel Gulbenkian - Paris, Dance Base - Edimburgo, Culturgest - Lisboa e ZDB - Lisboa.

Duração aproximada: 60 minutos


Ricardo Jacinto, Medusa, Segmentos @ APPLETON SQUARE Lisboa © Francisco Nogueira

29 Set | Sáb | 19:30
Solar - Galeria de Arte Cinemática (Rua do Lidador, 147 - Google Maps)  
Concerto-instalação
__

Entrada livre
foto para Deixa Arder Marcela Levi e Lucía Russo Deixa Arder 29 Set | Sáb | 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde
Dança
foto para Deixa Arder
Deixa Arder
Marcela Levi e Lucía Russo
O solo Deixa Arder é dança de invasão. Estão aí (em)pilhados Thelonious Monk, Dizzy Gillespie, Josephine Baker, Valeska Gert, Macunaíma, Grande Otelo, Jorge Ben Jor, Mc Carol, Michael Jackson, Nina Simone, Woody Woodpecker e muitos outros.

Numa relação de muita proximidade com os espectadores, a performer Tamires Costa deixa-se penetrar e estilhaçar pelas vibrações do funk, do jazz e do pop para retumbar os humores do burlesco e do corpo grotesco. Invadir, pilhar, empilhar e transtornar são os verbos que removem essa dança assombrada.
— Marcela Levi e Lucía Russo

www.marcelalevi.com
Vídeo/teaser

Biografia

Ficha artística/ técnica:
Direção artística: Marcela Levi & Lucía Russo | Performance: Tamires Costa | Cocriação: Tamires Costa e Ícaro Gaya | Estagiárias: Taís Almeida e Anne Naukkarinen | Desenho de luz: Catalina Fernández e Tábatta Martins | Desenho de som: toda a equipe | Figurinos: Levi & Russo | Registo fotográfico: Paula Kossatz e toda a equipe | Registo de vídeo: Renato Mangolin e Luiz Guilherme Guerreiro | Programacão visual: Paula Delecave | Residências artísticas/Apoio: Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro / Secretaria Municipal de Cultura, Projeto Entre/Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, Espaço Cultural Sítio Canto da Sabiá e Consulado da Argentina | Apoio: Bisturi Material Hospitalar e FoBRAS | Coprodução:  toda a equipe | Produção e realização artística: Improvável Produções | Difusão internacional: Something Great (Berlin – DE)
Duração aproximada: 40 minutos
Classificação etária: M6

© Fotocolagem Ícaro Gaya

29 Set | Sáb | 21:30
Teatro Municipal de Vila do Conde - bancada no palco (Avenida Dr. João Canavarro - Google Maps)
Dança

Estreia Nacional
__

Bilhetes e reservas