Festival Circular 2020
03 mai Artista Residente | 'O que já não é e o que nunca foi' de Joclécio Azevedo | 'Documentário' de Joclécio Azevedo | 'Lusco-Fusco' de Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira | 'O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)' de Filipe Caldeira imagem para Artista Residente | 'O que já não é e o que nunca foi' de Joclécio Azevedo | 'Documentário' de Joclécio Azevedo | 'Lusco-Fusco' de Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira | 'O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)' de Filipe Caldeira

"O que já não é e o que nunca foi"
Joclécio Azevedo

SINOPSE:

Este trabalho organiza-se a partir de rituais de pesquisa em torno do tempo, da sua ocupação, suspensão e condensação. Reunidos numa lógica de acumulação, em cena encontram-se objetos reaproveitados, tecnologia low-fi, dispositivos de amplificação e gravações recolhidas aleatoriamente durante o processo. A partir deste ambiente os intérpretes produzem um mosaico de ações, configurando espaços físicos e mentais que convocam os efeitos da lentidão, da velocidade, da repetição, da continuidade, da descontinuidade, da medição ou mesmo do esquecimento do tempo. O tecido coreográfico e sonoro produzido é atravessado também por fragmentos de memórias partilhadas, submetidas a processos de transformação e de desgaste.

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Direção artística e coreografia: Joclécio Azevedo | Música e interpretação: Xavier Paes | Interpretação: Gustavo Monteiro, Joclécio Azevedo | Figurinos: João Pedro Estelita Mendonça | Desenho de luz e operação: Cárin Geada | Produção executiva: Sofia Reis | Co-produção: Festival Internacional de Marionetas do Porto e Circular Associação Cultural | Apoio à residência artística: Teatro de Ferro e Companhia Instável

APRESENTAÇÕES:

2020

17 de Outubro 2020, 19:00 / Estreia absoluta
18 de Outubro, 16:00
Palácio do Bolhão - Porto
Festival Internacional de Marionetas do Porto
www.fimp.pt

24 de Outubro 2020, 21:30
Auditório Municipal de Vila do Conde
www.circularfestival.com

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

"Documentário"
Joclécio Azevedo
Dança

SINOPSE:

Escrever, descrever e reescrever infinitas versões de cada acontecimento. “Documentário” é uma peça coreográfica, para seis intérpretes, em torno de uma partitura caótica que reflete a tensão entre a necessidade e a impossibilidade de perceber o tempo presente. O mundo que pensamos conhecer desarticula-se em novas configurações do social, em novas estratégias de dominação política e económica. Pedaços do mundo manifestam-se no tráfico incontrolável de imagens que nos perseguem até mesmo nos sonhos. A aparente proximidade sugerida pelo acesso a novas tecnologias e formas de interação no mundo digital esconde a nossa incapacidade de lidar com o outro, objeto fetiche de uma fantasia permanente e de um medo difuso. Oscilamos entre a crença infundada e a desconfiança como princípio. As mesmas imagens repetem-se em dife- rentes suportes com diferentes protagonistas, num combate permanente pela atenção. A exclusão do outro manifesta-se pela normalização e pela colonização do imaginário coletivo, pela disseminação do equívoco, do engano e do preconceito. Então, a escrita torna-se combate, torna-se um incómodo e um exercício de poder.
Joclécio Azevedo

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Direção artística e coreografia: Joclécio Azevedo | Colaboração⁄cenografia: Paulo Mendes | Colaboracção⁄música: Pedro Tudela | Interpretação: Ana Moreira, Dori Nigro, Joclécio Azevedo, Pedro Prazeres, Ana Isabel Castro, Rocio Dominguez | Fotografia: Susana Neves | Filmagem e edição de vídeo: Sofia Arriscado | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Convidados para os workshops: Daniel Ribas, Melissa Rodrigues, Olívia da Silva e Rita Castro Neves | Produção executiva: Sofia Reis, Sofia Silva | Gestão Financeira: Fadas e Elfos Associação Cultural | Parcerias: Fórum Dança, Circular Associação Cultural, Centro de Criação do Candoso⁄Centro Cultural Vila Flor, Centro de Creación del cuerpo y el movimento El Graner e Festival DDD – Dias da Dança | Coprodução: Teatro Municipal do Porto⁄Festival DDD – Dias da Dança | Projeto financiado por: República Portuguesa – Cultura, DGArtes – Direção-Geral das Artes | Apoio: Companhia Instável | Duração aprox.: 1h

APRESENTAÇÕES:

2018

11 de Maio 2018, 19:00 / Estreia
Teatro Municipal do Porto . Campo Alegre (Auditório)
Festival DDD - Dias da Dança
www.festivalddd.com

19 Outubro 2018
Auditório Municipal de Vila do Conde
www.circularfestival.com

2019

1 Novembro 2019
Teatro Garcia de Resende, Évora
FIDANC - Festival Internacional de Dança Contemporânea
www.cdce.pt

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

"Lusco-Fusco"
Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira
Teatro-Dança
Público-alvo: crianças 6 aos 10 anos

SINOPSE:

Lusco-Fusco surge de um desejo de partilhar uma experiência sobre o vazio e o que ele pode conter. O vazio só contém ar! e o aborrecimento? como é o vazio de estar tudo tão cheio que não encontramos nada? será uma incubadora de acontecimentos? uma descoberta partilhada da matéria e do corpo em que a luz e a transição do tempo nos mostram o que há́ para ver numa relação de escala entre nós – o mundo e os inversos. Lusco-Fusco vê a vontade de ser um bocadinho inventor do seu próprio espanto e para isso desenha um espaço que pouco a pouco se torna numa invasão feita pela matéria que podemos com ela transformar e sermos transformados, mudá-la de lugar, levá-la connosco, arrastá-la e libertá-la. Deixá-la ser invadida por mãos e pés e cabeças que sentem. Os performers organizam o corpo para desaparecer, desobedecer e desaprender com a matéria, operam a luz e o som e habitam um lugar aberto ao sensível e à própria percepção de cada criança.

Para que percorres inutilmente o céu à procura da tua estrela?
Põe-na lá. (in Vergílio Ferreira, Escrever)

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Direcção e Interpretação: Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira | Dramaturgia: Joana Bértholo | Direcção Plástica: Rita Westwood | Sonoplastia: Filipe Lopes | Figurinos: Jordann Santos | Desenho de Luz: Cárin Geada | Operação de luz: Miguel Carneiro | Voz off: Eduardo Rego | Produção executiva: Circular Associação Cultural | Agradecimentos: Constança Carvalho Homem, Amora Gonçalves Caldeira, Sílvia Barbosa e Luís Filipe Silva | Coprodutores: Teatro Municipal do Porto, São Luiz Teatro Municipal, Comédias do Minho, Circular Associação Cultural, Teatro Aveirense | Duração aprox.:45 mins

APRESENTAÇÕES:

2019

18 de Janeiro 2019 (sex), 15:00 / Sessões para Escolas
19 de Janeiro 2019 (sáb), 11:00 / Sessões para Famílias
Teatro Virgínia (Torres Novas)
www.teatrovirginia.pt

13 Novembro 2019 / Sessões para Escolas
Auditório Municipal de Vila do Conde
Circular Associação Cultural / Programa Educativo
www.circularfestival.com

2018

20, 21, 22 e 23 de Fevereiro 2018, 10:00 + 14:00 / Sessões para Escolas
24 de Fevereiro 2018, 11:00 / Sessão pública
Biblioteca Municipal de Valença

28 de Feveveiro 2018, 1, 2, 6, 7, 8 e 9 de Março, 10:00 + 14:00 / Sessões para Escolas
10 de Março 2018, 15:00 / Sessão pública
Biblioteca Municipal de Monção

15 de Março 2018, 14:30 / Sessão escolar
16 de Março 2018, 10:30 + 14h30 / Sessões para Escolas
17 de Março 2018, 16:00 / Sessão pública
Rivoli Teatro Municipal do Porto
www.teatromunicipaldoporto.pt

10, 11, 12 e 13 de Abril 2018, 10:00 + 14:00 / Sessões para Escolas
14 de Abril, 11:00 / sessão pública
Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira
biblioteca.cm-vncerveira.pt

17, 18, 19 e 20 de Abril 2018, 10:00 + 14:00 / Sessões para Escolas
22 de Abril, 15:30 / Sessão pública
Grande Auditório de Paredes de Coura
www.paredesdecoura.pt

24, 26 e 27 de Abril 2018, 10:00 + 14:00 / Sessões para Escolas
28 de Abril, 15:00 / Sessão pública
Casa da Cultura de Melgaço
www.cm-melgaco.pt

3, 4, 7 e 8 de Maio 2018, 10:30 / Sessões escolares
5 e 6 de Maio, 16:00 / Sessões públicas
São Luiz Teatro Municipal, Lisboa
www.teatrosaoluiz.pt

20, 21 e 22 de Junho 2018, 10:30 + 14:30 / Sessões para Escolas
Teatro Aveirense, Aveiro
www.teatroaveirense.pt

18 e 19 de Outubro 2018 / Sessões para Escolas
20 de Outubro / Sessão pública
Teatro Viriato, Viseu
www.teatroviriato.com

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)'
Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira
Teatro-Dança
Público-alvo: crianças 3 aos 6 anos

SINOPSE:

Este espectáculo é um retrato-memória da infância escrito a quatro mãos (duas mãos que não param quietas; outras duas que as acompanham e observam), em que há espaço para o medo, o risco, a rua, um cão que ladra (e talvez morda) e um avô à janela capaz de nos proteger pelo canto do olho.

“Caco, porque é que estás a trepar?”, perguntava o meu avô Elísio.
“Porque me chamo Caco, Caco, Caco…”, dizia eu a imitar o eco.
O meu nome atirado contra uma montanha partir-se-ia em mil bocados. Quero dizer, em cacos. Talvez não seja o nome mais respeitável do mundo. Um nome que é um pedaço de uma coisa partida. Mas é o meu.

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:
Criação: Filipe Caldeira | Direcção artística: Filipe Caldeira e Catarina Gonçalves ​| Interpretação: Filipe Caldeira e Catarina Gonçalves | Texto original: Isabel Minhós Martins | Apoio à dramaturgia: Joclécio Azevedo | Cenografia: Ana Guedes | Apoio à cenografia: Emanuel Santos | Sonoplastia: Rodrigo Malvar | Voz: Catarina Gonçalves | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Vídeo: Teresa Pinto | Apoio à residência: Teatro do Frio; Companhia Instável | Agradecimentos: Seteventos; Escola Viva | Produção Executiva e Difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Maria Matos Teatro Municipal e Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre

APRESENTAÇÕES:

2018

6 de Janeiro 2018, 21:30
Teatro-Cine Torres Vedras
20 de Maio 2018, 16:00
Festival Territórios Dramáticos - Teatro da Didascália
Centro Cultural da Juventude de Joane (Vila Nova de Famalicão)
teatrodadidascalia.com

17 + 18 de Junho 2018, 10:00; 14:00; 16:00
Centro de Artes de Águeda
www.centroartesagueda.pt

15 de Setembro 2018, 15:00
Universidade Invisível: “Ui! Há Estradas para Lá?” (programação Comédias do Minho)
Cine-Teatro João Verde, Monção

10 de Dezembro 2018, 14:30
ARCA-Associação Recreativa e Cultural de Aveleda, Vila do Conde
Circular Associação Cultural / Programa Educativo
www.circularfestival.com

12 de Dezembro 2018, 11:00
ALFA-Atelier Lafontana Formas Animadas, Vila do Conde
Circular Associação Cultural / Programa Educativo
www.circularfestival.com

14 de Dezembro 2018, 11:00
Pavilhão da EB1 de Macieira da Maia
Circular Associação Cultural / Programa Educativo
www.circularfestival.com

2020

5 Outubro 2020
Teatro das Beiras, Covilhã
Quarta Parede Associação Cultural / Em Trânsito-Y a caminho do Y

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
07 nov 'Plano inclinado' de Carlos Arteiro e Joclécio Azevedo | 7 - 30 Nov. Centro de Memória | 'Modos de Usar' imagem para 'Plano inclinado' de Carlos Arteiro e Joclécio Azevedo | 7 - 30 Nov. Centro de Memória | 'Modos de Usar' Centro de Memória de Vila do Conde

Performance:
7 de Novembro 2020
11:00 – 12:30 / 14:15 – 17:15, em contínuo
Acesso gratuito*

Instalação:
De 7 a 30 de Novembro 2020
10:00 – 13:00 / 14:00 – 18:00

"Plano inclinado" resulta de um processo de colaboração entre o artista plástico Carlos Arteiro e o coreógrafo Joclécio Azevedo, artista residente da Circular Associação Cultural. A proposta inclui uma performance e uma instalação no Centro de Memória, em Vila do Conde, a partir de um diálogo à volta da escultura, da coreografia e da colaboração como formas de preparar território a encontros inesperados com a matéria, com o espaço e com o contexto local de produção.

A obra consiste na construção de uma oficina temporária, integrando parte do trabalho físico necessário à edificação do espaço como performance. Objectos, ferramentas e fragmentos de textos permanecem no local de trabalho, constituindo um registo documental do processo.

___________________

Esta proposta integra o projeto “Modos de usar” de Joclécio Azevedo, desenvolvido no contexto da Circular Associação Cultural. “Modos de usar” é um projecto que questiona a relação dos artistas com os seus métodos e ferramentas de pesquisa, propondo espaços de conversação, de activação de ligações com o contexto local de produção. O projecto desenvolve-se em várias camadas, à procura da reconfiguração de fronteiras disciplinares através de actividades que incluem também oficinas, workshops, encontros e apresentações informais. Constitui-se como um processo intermitente, integrando artistas, associações e grupos locais que desenvolvem projectos no campo das artes performativas e estendendo-se a participantes profissionais e não profissionais. O projecto prevê a criação de uma série de intervenções colaborativas, desenvolvidas entre 2018 e 2021.

___________________

Carlos Arteiro (Vila do Conde, 1992) é licenciado em Artes Plásticas (Escultura) pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (2015) e Mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas pela mesma instituição (2017). Foi bolseiro Erasmus na Facultad de Bellas Artes da Universidad Complutense de Madrid (2014-15). Em 2018 foi finalista do prémio NOVO BANCO Revelação 2018. Vive e trabalha em Vila do Conde.

Joclécio Azevedo (Brasil, 1969) vive no Porto desde 1990. A sua prática artística integra vários interesses, como coreografia, performance, escrita, som, dramaturgia e colaboração. Foi director artístico do Núcleo de Experimentação Coreográfica entre 2006 e 2011. É membro da direcção plenária da GDA desde 2008 e do Conselho de Curadores da Fundação GDA desde 2010. Artista residente da Circular Associação Cultural a partir de 2012. Colabora regularmente com grupos de investigação e de formação como o Sintoma, FAICC, Oficina ZERO, Balleteatro Escola Profissional, entre outros.
___________________

A ArtWorks é uma organização que produz obras de arte, projectos e exposições, na qual trabalha Carlos Arteiro. Para “Plano inclinado” contribuiu com a disponibilização das instalações e alguns materiais que integram o projecto.

*a iniciativa vai respeitar as medidas de segurança e de lotação definidas pela Direção-Geral da Saúde.

© Carlos Arteiro
03 dez Questões Práticas #07 com João Bento | 3 dez. 2020 + 7 jan. 2021, videoconferência | Parceria ESMAD imagem para Questões Práticas #07 com João Bento | 3 dez. 2020 + 7 jan. 2021, videoconferência | Parceria ESMAD 3 de dezembro 2020, Quinta-feira 21h00, videoconferência (zoom) Encontro com João Bento 

7 de janeiro 2021, Quinta-feira, 
22h15, videoconferência (zoom) Improvisação a partir dos documentários sonoros dos alunos da ESMAD

O último momento do ciclo “Questões Práticas” em 2020 organiza-se à volta de práticas sonoras e tem como convidado o artista sonoro João Bento. Este evento, realizado em parceria com a ES-MAD (no âmbito das conferências 20 a 20000hz), será dividido em duas sessões. Na primeira ses-são João Bento irá falar sobre o seu percurso artístico e sobre as suas práticas de trabalho, no se-gundo momento estará a colaborar na realização de um exercício proposto pelo professor e músi-co Filipe Lopes aos alunos do Mestrado em Comunicação Audiovisual - Especialização em Foto-grafia e Cinema Documental.

___________________

O ciclo “Questões práticas” configura-se em torno de encontros, conversas e performances que pretendem dar a conhecer práticas de investigação, escrita, performance, pensamento e transmis-são de conhecimento. Cada encontro funciona como um exercício de ativação do imaginário soci-al, poético e político dos participantes e dos convidados, procurando intersecções entre práticas artísticas e não artísticas. Organizado em torno de momentos separados no tempo, mas articulados entre si, este ciclo utiliza diferentes formatos de apresentação e protocolos de participação, promo-vendo o envolvimento e o cruzamento de públicos com interesses diversificados. 

___________________

João Bento é artista sonoro e visual, compõe som para dança, performance, teatro, cinema e live acts. Articulando gravações de campo, instrumentos analógicos/eletrónicos e objectos sonoros, usados num contexto multidisciplinar. Criou e desenhou som para diferentes artistas, coreógrafos, realizadores e encenadores dos quais destaca Rui Horta, João Fiadeiro, Vera Mantero, Ben J Rie-pe, John Romão, Marta Cerqueira, Gustavo Círiaco, Elizabete Francisca, Rui Catalão, Filipa Francisco, Paula Diogo, entre outros. Paralelamente desenvolve o seu trabalho nas artes plásticas e no campo da instalação sonora, relacionando arquivos de som e processos que questionam a memó-ria e o território. Está também envolvido em diferentes projetos musicais. A solo e em colaboração apresentou trabalhos pela Europa, bem como México, India e Bangladesh. www.joao-bento.com

___________________
Público alvo: estudantes e professores da ESMAD, público em geral.

Atividade inserida no programa educativo da Circular Associação Cultural. Coordenação ciclo “Questões práticas”: Joclécio Azevedo

© João Sequeira