Festival Circular 2018
27 jan Artista Residente: Joclécio Azevedo, João dos Santos Martins, Filipe Caldeira e Joana von Mayer Trindade imagem para Artista Residente: Joclécio Azevedo, João dos Santos Martins, Filipe Caldeira e Joana von Mayer Trindade O projecto "Artista Residente" propõe-se repensar possibilidades de colaboração entre artista e estrutura numa perspectiva de maior estabilidade, criando processos de diálogo que enriqueçam mutuamente as práticas de trabalho.
Tendo iniciado em 2012, com a associação do artista Joclécio Azevedo, dá-se agora continuidade à actividade com a inclusão dos artistas João dos Santos Martins, Filipe Caldeira e Joana von Mayer Trindade. A Circular Associação Cultural assegura a produção e a difusão dos trabalhos dos artistas associados.
__________________________

JOCLÉCIO AZEVEDO

"ESCOMBROS" de Joclécio Azevedo
Estreia 17, 18 Outubro 2015 Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP)

Concepção: Joclécio Azevedo | Em colaboração com: Jonathan Uliel Saldanha, Jordann Santos | Interpretação: Catarina Miranda, Ece Canli, Joclécio Azevedo | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Teatro de Ferro, Companhia Instável | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Festival Internacional de Marionetas do Porto e Circular Associação Cultural

.........................
"INTERMITÊNCIAS" de Joclécio Azevedo
Estreia 13 Fevereiro 2016 - Rivoli Teatro Municipal
Festival Cumplicidades (Lisboa) 12 Março 21:30, 13 Março, 18:00, Teatro da Trindade

Um projecto de: Joclécio Azevedo | Em colaboração com: Kubik aka Victor Afonso, Jérémy Pajeanc, Jordann Santos | Interpretação: André Mendes, Bruno Senune, Camila Neves, Joana Castro, Joclécio Azevedo | Desenho de luz e operação: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Companhia Instável | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Teatro Municipal do Porto - Rivoli e Circular Associação Cultural

site Joclécio Azevedo

____________________________

JOÃO DOS SANTOS MARTINS

"PROJECTO CONTINUADO (2015)" de João dos Santos Martins

Estreia 14 Fevereiro 2015, 18:00 - Guidance - Festival Internacional de Dança Contemporânea (Guimarães)

20, 21 Fevereiro, 21:30 - Teatro Sá da Bandeira (Santarém)
27, 28 Fevereiro, 21:30 - Culturgest (Lisboa)
5 Junho -  PT15 (Montemor-o-Novo)
5, 7 Agosto - Impulstanz (Viena)
17 Outubro - eXplore Festival (Bucareste)

2016
7 Maio - Teatro Viriato (Viseu)

2017
1 Março - Teatro de Vanves, Paris (França)
22, 23 Abril - Parque Cultural de Valparaíso (Chile)
29, 30 Abril - Sesc Pompeia (São Paulo) 3 e 4 Maio - Montevideu (Uruguai)
6 Maio - Atos de Fala (Rio de Janeiro)

Um projecto de: João dos Santos Martins | Em colaboração com: Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, Sabine Macher| Composição para piano e performance ao vivo/piano: Simão Costa | Desenho de luz: Ricardo Campos | Produção: Associação Parasita | Apoio à produção e difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Culturgest, Centro Cultural Vila Flor, CCN de Montpellier Languedoc-Roussillon no contexto do projecto Life Long Burning subsidiado pelo programa Cultura da União Europeia | Residências artísticas: CCN de Montpellier Languedoc-Roussillon, Centro de Criação de Candoso, EIRA, Musibéria, O Espaço do Tempo | Apoios: Câmara Municipal de Santarém/Teatro Sá da Bandeira, Santarém

...........................
"AUTO-INTITULADO (2015)" de João dos Santos Martins & Cyriaque Villemaux

Estreia 3 Outubro 2015 Circular Festival de Artes Performativas (Vila do Conde)

9, 10 Outubro - Teatro Sá da bandeira (Santarém)
12 Novembro - 20 anos P.A.R.T.S. (Bruxelas)

2016
18, 19, 20 Maio - Rencontres Chorégraphiques (Paris)
27, 28 Maio - Alkantara Festival (Lisboa)

2017
27, 28 Janeiro - Hiroshima (Barcelona)
3 Fevereiro - Guidance (Guimarães)
31 Março - Centro Cultural Franco-Moçambicano (Maputo)
11 Maio - Serralves/Festival DDD (Porto) 8 Junho - PT17 (Montemor-o-Novo)
27 e 29 Julho - Impulstanz (Viena)
2 Dezembro - Centro Cultural de Paredes de Coura

Um projeto de e por Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins | Desenho e operação de luz: Rui Monteiro | Co-produção:  Circular Festival de Artes Performativas e Alkantara Festival | Produção executiva e difusão: Circular Associação Cultural | Residências artísticas: Alkantara, O Espaço do Tempo, danceWEB no contexto do projecto Life Long Burning subsidiado pelo programa Cultura da União Europeia, A22, Graner, Circular Festival de Artes Performativas | Co-apresentação: Alkantara com o apoio DNA/Programa Cultura da União Europeia” | Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian, Teatro Sá da Bandeira - Santarém | Agradecimentos: Fórum Dança, O Rumo do Fumo, Nome Próprio


site João dos Santos Martins

___________________________

FILIPE CALDEIRA

"O CÃO QUE CORRE ATRÁS DE MIM (E O AVÔ ELÍSIO À JANELA)" de Filipe Caldeira

Estreia 29, 30, 31 Outubro, 1, 5, 6, 7, 8 Novembro 2015 Teatro Maria Matos (Lisboa)

13, 14, 15 Novembro Teatro Campo Alegre (Porto)

2016
1 Maio, Convento São Francisco (Coimbra)
12, 13, 14 Maio, Teatro Virgínia (Torres Novas)
18 Outubro a 3 Novembro - Plataforma das Artes (Guimarães)
19 Dezembro - Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto - FEUP (Porto)
28 Dezembro - Teatro Municipal de Bragança

2017
15 e 16 Abril - Centro Cultural do Entrocamento
22 Abril - O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo)
2 e 3 Outubro - Centro de Artes de Ovar
31 Outubro a 5 Novembro - Biblioteca de Marvila/Teatro Municipal Maria Matos (Lisboa)
12 a 14 Dezembro - Teatro Aveirense (Aveiro)

2018
6 Janeiro - Teatro-Cine de Torres Vedras

Criação e interpretação: Filipe Caldeira | Apoio à dramaturgia: Joclécio Azevedo | Texto original: Isabel Minhós | Apoio ao movimento: Catarina Gonçalves | Cenografia: Ana Guedes | Apoio à cenografia: Emanuel Santos | Sonoplastia: Rodrigo Malvar | ​Voz: Catarina Gonçalves | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Apoio à residência: Teatro do Frio, Companhia Instável | Agradecimentos: Seteventos; Escola Viva  | Produção Executiva e Difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Teatro Municipal Maria Matos e Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre
Encomenda do Programa para Crianças e Jovens do Teatro Municipal Maria Matos

......................
"A CAÇADA" de Filipe Caldeira
Estreia 2016 Circular Festival de Artes Performativas


__________________________

JOANA VON MAYER TRINDADE

"NAMELESS NATURES" de Joana von Mayer Trindade no âmbito do Estação Imagem
14 Abril 2015, 21:30, Biblioteca Municipal de Viana do Castelo | Sala Couto Viana

"VELEDA" de Hugo Calhim Cristóvão & Joana von Mayer Trindade 9 Maio, 19:00 Praça D. João I, no âmbito do Corpo + Cidade, Festival de Performance Urbana (Porto) "NAMELESS NATURES" de Joana von Mayer Trindade
31 Maio, Serralves em Festa - Fundação de Serralves

"O CÉU É APENAS UM DISFARCE AZUL DO INFERNO" de Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão
Estreia 2 Outubro 2015, Circular Festival de Artes Performativas (Vila do Conde)
2016
29 Janeiro - Centro Cultural de Ílhavo
4, 5, 6 Março - Festival Cumplicidades
1 Abril - Uferstudios (Berlim)
7 Abril, Viana do Castelo  
site Joana von Mayer Trindade



Foto: "Autointitulado" de João dos Santos Martins & Cyriaque Villemaux 
© José Carlos Duarte
03 jan Projectos Educativos: Arte como Farol com Juan Luis Toboso + Formação de Dança com Joana von Mayer Trindade imagem para Projectos Educativos: Arte como Farol com Juan Luis Toboso + Formação de Dança com Joana von Mayer Trindade O desenvolvimento de públicos é um dos objectivos da Circular Associação Cultural que se concretiza em 2017/2018 em duas acções distintas: o projecto Arte como Farol coordenado e orientado por Juan Luis Toboso com três turmas da Escola Secundária José Régio e a Formação de Dança com Joana von Mayer Trindade, Artista Residente da Circular, desenvolvida com uma turma da Escola Secundária José Régio.

Os projectos, que envolvem várias dezenas de estudantes e estão a decorrer desde 2017, contam com a colaboração activa e dinâmica das Professoras Carolina Morgado e Guia do Carmo da Escola José Régio.

Mais informações aqui.

Foto: DR
03 mai Artista Residente | 'Lusco-Fusco' de Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira | 'O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)' de Filipe Caldeira | 'Companhia' de João dos Santos Martins | 'Documentário' de Joclécio Azevedo imagem para Artista Residente | 'Lusco-Fusco' de Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira | 'O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)' de Filipe Caldeira | 'Companhia' de João dos Santos Martins | 'Documentário' de Joclécio Azevedo
"Lusco-Fusco"
Catarina Gonçalves & Filipe Caldeira
Teatro-Dança
Público-alvo: crianças 6 aos 10 anos

SINOPSE:

Lusco-Fusco surge de um desejo de partilhar uma experiência sobre o vazio e o que ele pode conter.  O vazio só contém ar! e o aborrecimento? como é o vazio de estar tudo tão cheio que não encontramos nada? será uma incubadora de acontecimentos? uma descoberta partilhada da matéria e do corpo em que a luz e a transição do tempo nos mostram o que há́ para ver numa relação de escala entre nós – o mundo e os inversos. Lusco-Fusco vê a vontade de ser um bocadinho inventor do seu próprio espanto e para isso desenha um espaço que pouco a pouco se torna numa invasão feita pela matéria que podemos com ela transformar e sermos transformados, mudá-la de lugar, levá-la connosco, arrastá-la e libertá-la. Deixá-la ser invadida por mãos e pés e cabeças que sentem. Os performers organizam o corpo para desaparecer, desobedecer e desaprender com a matéria, operam a luz e o som e habitam um lugar aberto ao sensível e à própria percepção de cada criança.

Para que percorres inutilmente o céu à procura da tua estrela?
Põe-na lá. (in Vergílio Ferreira, Escrever)

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Direcção e Interpretação: Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira | Dramaturgia: Joana Bértholo | Direcção Plástica: Rita Westwood | Sonoplastia: Filipe Lopes | Figurinos: Jordann Santos | Desenho de Luz: Cárin Geada | Operação de luz: Miguel Carneiro | Voz off: Eduardo Rego | Produção executiva: Circular Associação Cultural | Agradecimentos: Constança Carvalho Homem, Amora Gonçalves Caldeira, Sílvia Barbosa e Luís Filipe Silva | Coprodutores: Teatro Municipal do Porto, São Luiz Teatro Municipal, Comédias do Minho, Circular Associação Cultural, Teatro Aveirense | Duração aprox.:45 mins

APRESENTAÇÕES:

20, 21, 22 e 23 de Fevereiro, 10:00 + 14:00 / Sessões escolares
24 de Fevereiro, 11:00 / Sessão pública
Biblioteca Municipal de Valença

28 de Feveveiro, 1, 2, 6, 7, 8 e 9 de Março, 10:00 + 14:00 / Sessões escolares
10 de Março, 15:00 / Sessão pública
Biblioteca Municipal de Monção

15 de Março, 14:30 / Sessão escolar
16 de Março, 10:30 + 14h30 / Sessões escolares
17 de Março, 16:00 / Sessão pública
Rivoli Teatro Municipal do Porto
www.teatromunicipaldoporto.pt
10, 11, 12 e 13 de Abril, 10:00 + 14:00 / Sessões escolares
14 de Abril, 11:00 / sessão pública
Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira
biblioteca.cm-vncerveira.pt
17, 18, 19 e 20 de Abril, 10:00 + 14:00 / Sessões escolares
22 de Abril, 15:30 / Sessão pública
Grande Auditório de Paredes de Coura
www.paredesdecoura.pt
24, 26 e 27 de Abril, 10:00 + 14:00 / Sessões escolares
28 de Abril, 15:00 / Sessão pública
Casa da Cultura de Melgaço
www.cm-melgaco.pt
3, 4, 7 e 8 de Maio, 10:30 / Sessões escolares
5 e 6 de Maio, 16:00 / Sessões públicas
São Luiz Teatro Municipal (Lisboa)
www.teatrosaoluiz.pt
20, 21 e 22 de Junho, 10:30 + 14:30 / Sessões escolares
Teatro Aveirense (Aveiro)
www.teatroaveirense.pt
18 e 19 de Outubro / Sessões escolares
20 de Outubro / Sessão pública
Teatro Viriato (Viseu)
www.teatroviriato.com
11 Dezembro / Sessão escolar
Espaço Lafontana (Vila do Conde)
www.lafontana.pt
Filipe Caldeira é Artista Residente da Circular Associação Cultural

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

O cão que corre atrás de mim (e o avô Elísio à janela)'
de Filipe Caldeira
Teatro-Dança
Público-alvo: crianças 3 aos 6 anos

SINOPSE:


Este espectáculo é um retrato-memória da infância escrito a quatro mãos (duas mãos que não param quietas; outras duas que as acompanham e observam), em que há espaço para o medo, o risco, a rua, um cão que ladra (e talvez morda) e um avô à janela capaz de nos proteger pelo canto do olho.

“Caco, porque é que estás a trepar?”, perguntava o meu avô Elísio.
“Porque me chamo Caco, Caco, Caco…”, dizia eu a imitar o eco.
O meu nome atirado contra uma montanha partir-se-ia em mil bocados. Quero dizer, em cacos. Talvez não seja o nome mais respeitável do mundo. Um nome que é um pedaço de uma coisa partida. Mas é o meu.


FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Criação: Filipe Caldeira | Direcção artística: Filipe Caldeira e Catarina Gonçalves ​| Interpretação: Filipe Caldeira e Catarina Gonçalves | Texto original: Isabel Minhós Martins | Apoio à dramaturgia: Joclécio Azevedo | Cenografia: Ana Guedes | Apoio à cenografia: Emanuel Santos | Sonoplastia: Rodrigo Malvar | Voz: Catarina Gonçalves | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Vídeo: Teresa Pinto | Apoio à residência: Teatro do Frio; Companhia Instável | Agradecimentos: Seteventos; Escola Viva | Produção Executiva e Difusão: Circular Associação Cultural | Co-produção: Maria Matos Teatro Municipal e Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre

APRESENTAÇÕES:

20 de Maio, 16:00
Festival Territórios Dramáticos - Teatro da Didascália
Centro Cultural da Juventude de Joane (Vila Nova de Famalicão)

17 + 18 de Junho, 16:00
Centro de Artes de Águeda


+ info
teatrodadidascalia.com
www.centroartesagueda.pt

Filipe Caldeira é Artista Residente da Circular Associação Cultural

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

"Documentário"
Joclécio Azevedo
Dança

11 de Maio, 19:00 Teatro Municipal do Porto . Campo Alegre (Auditório) Festival DDD - Dias da Dança

Estreia / Premiere

SINOPSE:

Escrever, descrever e reescrever infinitas versões de cada acontecimento. “Documentário” é uma peça coreográfica, para seis intérpretes, em torno de uma partitura caótica que reflete a tensão entre a necessidade e a impossibilidade de perceber o tempo presente. O mundo que pensamos conhecer desarticula-se em novas configurações do social, em novas estratégias de dominação política e económica. Pedaços do mundo manifestam-se no tráfico incontrolável de imagens que nos perseguem até mesmo nos sonhos. A aparente proximidade sugerida pelo acesso a novas tecnologias e formas de interação no mundo digital esconde a nossa incapacidade de lidar com o outro, objeto fetiche de uma fantasia permanente e de um medo difuso. Oscilamos entre a crença infundada e a desconfiança como princípio. As mesmas imagens repetem-se em dife- rentes suportes com diferentes protagonistas, num combate permanente pela atenção. A exclusão do outro manifesta-se pela normalização e pela colonização do imaginário coletivo, pela disseminação do equívoco, do engano e do preconceito. Então, a escrita torna-se combate, torna-se um incómodo e um exercício de poder. Joclécio Azevedo

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

Direção artística e coreografia: Joclécio Azevedo | Colaboração⁄cenografia: Paulo Mendes | Colaboracção⁄música: Pedro Tudela | Interpretação: Ana Moreira, Dori Nigro, Joclécio Azevedo, Pedro Prazeres, Ana Isabel Castro, Rocio Dominguez | Fotografia: Susana Neves | Filmagem e edição de vídeo: Sofia Arriscado | Figurinos: Jordann Santos | Desenho e operação de luz: Miguel Carneiro | Convidados para os workshops: Daniel Ribas, Melissa Rodrigues, Olívia da Silva e Rita Castro Neves | Produção executiva: Sofia Reis, Sofia Silva | Gestão Financeira: Fadas e Elfos Associação Cultural | Parcerias: Fórum Dança, Circular Associação Cultural, Centro de Criação do Candoso⁄Centro Cultural Vila Flor, Centro de Creación del cuerpo y el movimento El Graner e Festival DDD – Dias da Dança | Coprodução: Teatro Municipal do Porto⁄Festival DDD – Dias da Dança | Projeto financiado por: República Portuguesa – Cultura, DGArtes – Direção-Geral das Artes | Apoio: Companhia Instável | Duração aprox.: 1h

APRESENTAÇÕES:

11 de Maio, 19:00 Teatro Municipal do Porto . Campo Alegre (Auditório) Festival DDD - Dias da Dança

+ info: 
www.festivalddd.com www.teatromunicipaldoporto.pt

Joclécio Azevedo é Artista Residente da Circular Associação Cultural

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

"Companhia" de João dos Santos Martins com
Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, Sabine Macher
Dança

14-19 de Abril (excepto 16), Sábado-Quinta 21:30/Domingo 18:30, Teatro Maria Matos (Lisboa)

Estreia / Premiere

SINOPSE:

Companhia marca o reencontro de João dos Santos Martins com a equipa de Projeto Continuado (2015), dando continuidade aos processos de colaboração e investigação então iniciados e marcados por relações de afeto e labor. Companhia investe esteticamente na ideia de dança enquanto trabalho, utilizando, para isso, casos de estudo que examinam, por exemplo, a sistematização do movimento operário na relação estabelecida com as máquinas, de onde surge um conceito de coreografia enquanto tecnologia ou prótese. Em paralelo, reflete-se sobre como determinadas estéticas de dança, de ambições libertárias e democráticas, estão implicadas na redução dos pontos de tensão do corpo, implementando técnicas de eficácia na concretização do movimento, utilização energética e redução de esforço como alternativa ao modernismo rígido e ideologicamente “exterior” ao corpo.
Interessa, com isto, refletir sobre trabalho e bem-estar, a forma como a dança, enquanto cânon de produção recíproca de prazer (do espectador, mas também do bailarino) e difícil de identificar socialmente como labor, interage com os seus modos e agentes de produção. E se a ideia de “companhia” aqui invocada pondera uma forma hegemónica de organização estrutural e administrativa em dança, ela implica também um modo de labor comum: companhia como facto ou condição de ser e estar com o outro, como forma de providenciar amizade ou prazer a um grupo de pessoas numa sociedade.

FICHA ARTÍSTICA/TÉCNICA:

De: João dos Santos Martins | Em colaboração com: Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, Sabine Macher | Coreografia e performance: Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, João dos Santos Martins, Sabine Macher | Encomenda: Maria Matos Teatro Municipal | Credores financeiros: 
Ana Rita Teodoro, Associação Parasita, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, João dos Santos Martins, Sabine Macher | Coprodução: Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto | Produção e difusão: Circular Associação Cultural | Residências Artísticas: Nave, O Espaço do Tempo, Opart/Companhia Nacional de Bailado/Estúdios Victor Córdon, CCB, Culturgest, Companhia Olga Roriz, SMUP — Sociedade Musical União Paredense, Rua das Gaivotas6, Incrível Almadense, Causas Comuns, Teatro do Eléctrico | Registo fotográfico: José Carlos Duarte | Registo Videográfico: Jorge Jácome e Marta Simões

APRESENTAÇÕES:

14-19 de Abril (excepto 16), Sábado-Quinta 21:30/Domingo 18:30
Teatro Maria Matos (Lisboa)

Novembro 2018, Teatro Viriato (Viseu)

2019 Festival DDD (Porto)


+ info:  www.teatromariamatos.pt

João dos Santos Martins é Artista Residente da Circular Associação Cultural

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::